CARPLACE

Volta rápida: Honda CB 500F está de volta por R$ 22 mil – e vai trazer família!

Honda CB500 (23)

Desde que a nova CB 500 foi apresentada mundialmente durante o Salão de Milão, em novembro de 2012, começaram os rumores sobre quando a moto chegaria ao Brasil. Um mês depois, adiantamos que o modelo seria lançado aqui no final de 2013, como linha 2014. O tempo mostrou que estávamos certos: a CB 500 está de volta disposta a reviver os bons tempos da antiga versão, fabricada até 2001. E desta vez ela não vem sozinha. Além da naked CB 500F, que estreia agora em outubro, teremos também a esportiva CBR 500R a partir de dezembro e a crossover CB 500X no primeiro semestre de 2014. Com esta nova família fabricada em Manaus (AM), a Honda entra com tudo no segmento “fun market”, de motos acima de 450 cc e preços na faixa de R$ 22 mil a R$ 25 mil.

Honda CB500 (30)

Os novos modelos baseiam-se em visual atrativo e imponente, pilotagem amigável e identificação com o usuário. Para conferir as novidades, CARPLACE MOTO esteve no campo de provas da Honda em Manaus (AM) e pilotou, em primeira mão, a naked F.

O que é?
As três variações da nova CB 500 compartilham chassi, motor, suspensão, rodas, pneus e freios. As diferenças ficam por conta da estética e do posicionamento do piloto. A F é uma naked comportada, pois não se “cobre” demais nem mostra as partes íntimas – estamos acostumados a ver parte dos chassis nas concorrentes. Já a R traz carenagem dianteira e farol duplo, com uma posição de pilotagem mais agressiva. Por fim, a X vem com banco inteiriço, pintura de motor e tanque de combustível maior. Com meu 1,69 m de altura, fiquei com os pés plantados no chão na F e na R, mas apenas a planta do pé na X.

Honda CB500 (29)

A naked revela harmonia e fluidez em suas linhas e dimensões, como o conjunto ótico em formato de escudo, para-lama, tanque e a carenagem lateral que protege o radiador. Mas confesso que esperava mais da lanterna traseira, que poderia ser de LEDs para deixar a rabeta com visual mais moderno. O painel é todo digital, com conta-giros por barrinhas e indicação de consumo. A iluminação do mostrador é azul na F, branca na R e âmbar na X.

Honda CB500 (33)

O motor de exatas 471 cc rende 50,4 cv a 8.500 rpm e 4,55 kgfm de torque. Trata-se basicamente do propulsor da pequena CBR 250R duplicado: bicilíndrico DOHC (Duplo Comando de Válvulas no Cabeçote) com balancins roletados, sendo que no eixo do comando cada balancim atua em duas válvulas simultaneamente, diminuindo o peso do conjunto e contribuindo com o torque em baixos giros. A alimentação é feita por injeção eletrônica de última geração, entregando 80% da potência entre 5 mil e 6 mil rpm. Segundo a Honda, o propulsor tem um “comportamento divertido, não tão áspero como o antigo, nem tão suave como o da NC700X”. Também com foco na economia de combustível, o motor foi ajustado de forma a entregar mais força em rotações medianas e ter consumo de até 27 km/l (dado da versão europeia), resultando em potência total abaixo dos 54 cv da antiga CB 500.

Honda CB500 (17)

Na construção destaca-se o chassi tipo diamond frame, em que o motor faz parte da estrutura. Ele é dividido numa parte principal, que suporta o conjunto dianteiro, motor e balança traseira, mais um sub-chassi (aparafusado ao principal) para o restante do conjunto a partir do banco. A suspensão é “feijão com arroz”, com garfo telescópico convencional na dianteira (curso de 120 mm) e pró-link na traseira (curso de 119 mm). Atrás, oferece regulagem com nove posicionamentos na pré-carga da mola.

Honda CB500 (18)

As primeiras CB 500F nacionais virão equipadas com pneus Dunlop nas medidas 120/70 ZR-17 na dianteira e 160/60 ZR-17 na traseira. Posteriormente, porém, a Honda deve equipar os três modelos com pneus Pirelli. Os freios são da marca Nissin, com disco tipo margarida de 320 mm e pinça de dois pistões na frente, e de 240 mm com pinça de um pistão atrás. O sistema ABS é opcional.

Como anda?
Noto logo de cara que a CB 500F é ideal para pessoas de estatura média. A posição e altura do guidão deixam o piloto “dono da situação”, enquanto os comandos de seta, buzina e lampejo do farol alto (lado esquerdo) estão ergonomicamente colocados, assim como os do lado direito (motor de arranque, pisca alerta e corta corrente).

Honda CB500 (24)

Dada a partida, o motor emite um ronco agradável e o engate do câmbio é suave – tipicamente Honda. Num trecho de zigue-zague entre cones, não me sinto numa 500, tamanha a facilidade de pilotagem. Acelero um pouco mais (estamos entre 20 e 30 Km/h) e já me pego sorrindo. Depois saímos dos cones e entramos numa pista de paralelepípedo com alguns rebaixos no trajeto, onde a moto se mostra confortável, mesmo repetindo várias vezes o percurso.

Honda CB500 (5)

Voltando ao asfalto, chego fácil à sexta marcha e resolvo fazer um teste de fôlego: diminuo para 40 km/h e volto a acelerar gradativamente. O motor não pipoca e, sem engasgos, logo chego à velocidade normal da sexta. Com uma reta livre pela frente, dou umas esticadas e passo a trocar as marchas entre 5.500 e 6.000 rpm. Nesta rotação em última marcha, o velocímetro aponta 120 km/h e o motor trabalha suavemente. A reta termina e, com ela, também a primeira fase do teste.

Honda CB500 (35)

À tarde vamos para uma pista estreita, sinuosa e com armadilhas como poeira e pequenos buracos. Seguimos no ritmo do instrutor em curvas para ambos os lados, subidas e descidas (em média a 60 km/h). O comportamento da moto é exemplar, com boa estabilidade e obediência fiel aos comandos, sem surpresas. A 500F é tão divertida que desejei ter mais tempo livre para melhor avaliação (aguardem a avaliação completa em breve).

Honda CB500 (3)

De volta ao centro onde fica a pista anterior, aproveito o tempo final para realizar pequenos círculos no sentido horário e anti-horário em segunda marcha, apenas tocando de leve no acelerador. Resultado: o temperamento da CB 500 é realmente amigável. Para completar, volto a passar várias vezes na pista de paralelepípedo com rebaixos e em nenhum momento sinto o final de curso das suspensões.

Entro na reta, acelero no limite do meu conforto (olha o final da pista!) e da turbulência do capacete. Chego rápido a 140 km/h, freio mais forte sem reduzir marchas e percebo que a moto aceitaria muito mais. Encosto então no galpão de testes e observo um modelo sem tanque e laterais, onde fica fácil identificar o chassi cinza chumbo e o sub-chassi preto (este normalmente fica encoberto pelo banco, laterais e rabeta), tudo num um conjunto muito bem montado. Conclusão do test-ride? Uma moto rápida sem ser nervosa, com ótima posição de pilotagem e comandos, suspensão bem acertada e freios eficientes. É uma bela opção para quem procura um modelo de média cilindrada e preço atraente.

Honda CB500 (27)

Quanto custa?
Quando falamos em preço atraente, vemos que a Honda montou uma estratégia agressiva: a CB 500F chega por R$ 22 mil na versão standard e R$ 23.500 na versão com ABS. Comparando com a concorrência mais próxima, a Kawasaki Ninja 300 sai por cerca de R$ 20 mil com ABS e a opção imediatamente superior, a ER-6N 650, custa R$ 25.900 sem ABS. Quem acompanha o mercado de duas rodas brasileiro sabe que há uma enorme carência de modelos nesta faixa de R$ 20 mil a R$ 25 mil, justamente onde a Honda vai atacar com a linha CB 500.

Honda CB500 (34)

Ainda sem divulgar os valores dos modelos R e X (que só serão conhecidos na época do lançamento de cada uma), a marca da asa adianta que o valor máximo da nova família deverá ficar em torno de R$ 25 mil. Assim, as CB 500 vão visar usuários com idade superior a 26 anos e renda mensal acima de R$ 3 mil. Com expectativa inicial de vender em torno de 6 mil unidades/ano para as CB 500F e CBR 500R, e de 8 mil para a CB 500X, a meta da Honda é comercializar 30 mil unidades anuais até 2016.

Por Eduardo Silveira, de Manaus (AM)
Fotos Divulgação
Viagem a convite da Honda

Ficha técnica – Honda CB 500F

Motor: dois cilindros em linha, 8 válvulas, 471 cm3, injeção eletrônica, comando duplo no cabeçote, refrigeração líquida; gasolina Potência: 50,4 cv a 8.500 rpm; Torque: 4,55 kgfm a 7.000 rpm; Transmissão: câmbio de seis marchas, transmissão por corrente; Quadro: estrutura tipo diamond frame de aço; Suspensão: garfo telescópico na dianteira (120 mm de curso) e pró-link na traseira com ajuste da pré-carga da mola (119 mm de curso); Freios: disco tipo margarida na dianteira (320 mm) e disco na traseira (240 mm), com ABS opcional; Peso: 180 kg; Capacidades: tanque 15,7 litros; Dimensões: comprimento 2.075 mm, largura 780 mm, altura 1.060 mm, altura do assento 785 mm, entre-eixos 1.410 mm

Publicidade
Publicidade

78 comentários

  1. Enigm4BR

    8 de outubro de 2013 at 12:39

    Pena que em São Pulo não da para ter motos nesse estilo dai de eu preferir as Custons e Choppers, porque pelos os bandidos visam menos( ainda sim corre o risco).
    Mas andar com uma esportiva é marcar o alvo na testa esperando tomar um tiro de algum vagabundo em cada farol ou reduzida….uma pena.

    • Rodrigo_SM

      8 de outubro de 2013 at 12:49

      Infelizmente vc tem razão

      • Carlos H. Ferreira

        8 de outubro de 2013 at 13:26

        Pois é, no Rio está a mesma coisa…

        • Luiz Belmiro

          26 de janeiro de 2014 at 0:49

          Em Belém os vagabundos querem qualquer uma. Infelizmente.

      • Vando

        8 de outubro de 2013 at 13:42

        cara já tava imaginado o vento no rosto, até ler o seu comentário, da até tristeza de você não poder usar oque você quer, realmente a bandidagem ta demais!
        Começando por "Brasilia" é só bandido nessa terra !
        E viva o Mensalão da Dilminha,

        • Pil

          9 de outubro de 2013 at 0:55

          Em São Paulo desde 1998 na roubalheira no Metrô e nos trens, já passou de 500 milhões de reais, e são 20 anos de incompetência da tucanada, e de quebra deixa o PCC mandar no estado. Isso sim é muito ruim!

          • carlos

            19 de outubro de 2013 at 8:47

            E tome petista esquerdoide justificando seu roubo com o roubo dos outros! Como se isto os absolvesse!

          • Lelis

            22 de novembro de 2013 at 23:56

            Não importa o partido, político é tudo bandido.

          • DUNHA

            23 de novembro de 2013 at 17:55

            DEPOIS VEM A QUADRILHA DO PT (PRESOS NA MAIORIA) FAZ PREBICITO E TIRA AS ARMAS DOS HOMENS DE BEM, E COMEÇA A ATIRAR NA POPULAÇÃO. AS ARMAS DOS BANDIDO NINGUÉM MEXE,

    • RS_MORE

      8 de outubro de 2013 at 13:48

      (leigo) E não tem como fazer seguro?

      • Eduardo

        8 de outubro de 2013 at 14:05

        (leigo) já viu o preço de seguros de moto?? valores altíssimos chegando a custar o mesmo valor praticamente da moto, pois a justificativa que me deram para os valores abusivos dos seguros é sempre a mesma, se cair , bater e estragar muito é inviável o concerto, pois arrebenta tudo, e a marge para roubo de moto é baixa com parada à roubo de carro que é alto. fui orçar o seguro da moto para os funcionários da minha empresa onde andam de Cg 150 2012 no dia a dia, apenas 7.000reais cada um, o mesmo valor praticamente de uma moto zero

        • marcelo

          9 de outubro de 2013 at 19:40

          tenho seguro da porto seguro CB 300r 2012 R$ 1600,00!

        • Não gostou pegaeu

          22 de outubro de 2013 at 19:42

          Anda de buzão então, fio.

      • Enigm4BR

        8 de outubro de 2013 at 14:24

        Infelizmente quando simplesmente as seguradora não aceitam o risco, os valores chegam a ser 70% do valor da moto, principalmente no caso das esportivas.
        No interior é bem mais tranquilo.
        Sem contar que como é mais fácil levar a moto de um morto, os vermes chegam atirando, matam a pessoa e levam a moto, já que não tem lei nesse lixo de país esta liberado bandido matar a vontade a população.

      • jabacule

        8 de outubro de 2013 at 16:49

        Seguro para moto tem fácil, mas é bom fazer um de vida também. E dos bons, pois esse tipo de moto é o que vagabundo visa mais. Infelizmente!!!

    • V8_sempre

      8 de outubro de 2013 at 20:25

      Mas já repararam como as turmas ou gangues que possuem essas motos esportivas estão se proliferando por todo o país, sempre andando em turma?

      A maioria anda rasgando pelas rodovias ! heheh

  2. Leandro Amaral

    8 de outubro de 2013 at 12:43

    Ptz, eu preciso de umaaaaa!

  3. Alexandre

    8 de outubro de 2013 at 12:48

    Sem querer criticar gratuitamente, lembro que "peito do pé" é a parte do pé superior e acima dos dedos, portanto não é possível encostá-lo no chão, a não ser que se esteja quase totalmente deitado e numa moto muito, mas muito baixa. Acho que você queria dizer a "planta" dos pés. Outro detalhe a Kawasaki Ninja 300 é bicilindrica e não monocilindirca como consta no texto.

  4. Pil

    8 de outubro de 2013 at 13:27

    Pra mim seria a X, gosto de motos mais altas e que passam por buracos sem se sentir tanto, fora a posição bem ereta da pilotagem, que também prefiro.

    Se custar até 25 mil com ABS e tiver seguro com valor acessível…

    • MDD-SC

      9 de outubro de 2013 at 8:58

      Acho muito, mas muito difícil a honda lançar estas motos nesta faixa de preço. Pelo menos aqui na minha região, estão pedindo acima de R$ 20.000,00 na Falcon 400i. O preço de R$ 16.990,00 do site é uma grande mentira.

  5. carlao GTS

    8 de outubro de 2013 at 13:56

    R$ 15 .800
    todos os mundos ganhariam dinheiro a monte

  6. Evandro

    8 de outubro de 2013 at 13:57

    Kawazaki Ninja 300 não é monocilindrica e sim bicilindrica.

  7. Louis

    8 de outubro de 2013 at 15:18

    Só não gostei do painelzinho de CG

  8. Aldo

    8 de outubro de 2013 at 15:24

    Dois cilindros é de doer, se tivesse 4 cilindros ia ser alegria de muitos….

    • FernandoFox

      9 de outubro de 2013 at 10:06

      Não é a proposta da moto, meu caro. a proposta é ter torque em baixa, pra andar na cidade. Uma 4cil. com essa cilindrada não teria o mesmo torque.

    • Zivinakevicius

      10 de outubro de 2013 at 8:25

      Vai de Hornet filho…

    • Andre

      27 de novembro de 2013 at 17:10

      que quatro cilindros o que, acorda véi, isso ai é 500 cc não 1000cc … vc deve ter uma comet pelo jeito, aquele trator com motor de fusca …

  9. PauloRocker

    8 de outubro de 2013 at 16:20

    A Honda se preocupa muito em ''inchar'' alguns segmentos mas acaba se esquecendo de outros…
    Mais uma Naked/Turismo de média cilindrada em um segmento que já está cheio dentro da própria marca, CB 600 Hornet, Nc 700X, VFR 1200, Transalp, CBf 600 R e CB 1000 R sem contar os dois ''filhos'' que essa CB500 traz que são a Trail e a carenada, além do segmento de scooters que a marca tbm vem congestionando a sua própria linha nos útimos tempos.
    Tenho uma Harley e posso garantir que não é lá essas coisas que todos afirmam, essa paixão e qualidade toda declarada por alguns fanáticos é pura alienação, gosto da moto, porém basta ser um pouco realista que verá muitos pontos critícos, e até admito que a tenho por falta de opções melhores no mercado nacional, opções como a custom futurista CTX700, Fury, Sabre ou Stateline seriam uma ótima pedida pra um mercado como o brasileiro, por que a Shadow 750, simplesmente não dá mais conta do recado !!!

    • visnadi

      9 de outubro de 2013 at 18:40

      cara sempre quis uma harley, qual os problemas que vc tem com a sua e qual é a sua…
      agora fiquei preocupado, vc é o primeiro que vejo falar mal… fiquei curioso.

  10. Junior

    8 de outubro de 2013 at 16:52

    ÓTIMA moto? Top Speed de 188km? a ninja 300 anda mais que isso a comet 250 que todo mundo toca o pau da 180km sei lá acho que poderia ser uma moto melhor e o preço esta salgado como todas as motos honda!

    • Leandro

      2 de dezembro de 2013 at 18:36

      Concordo plenamente com vc amigo. Tenho um CB500 2001 e ela dá o que mostra alguns vídeo do You Tube(200 km p/h), Como que eles revivem uma lenda com um motor mais fraco?, "Pensando na economia de combustivel" Pô, se eu estivesse preocupado com economia de combustivel compraria uma CG. Sem contar que pra ter uma dessa eu teria que vender duas 500 2001 e mais uns trocados aki na minha região.

  11. Kairogyn

    8 de outubro de 2013 at 19:26

    Bicleta com preço de moto grande

    • Kairogyn

      8 de outubro de 2013 at 19:26

      Bicicleta****

    • Andre

      27 de novembro de 2013 at 17:32

      vc tá muito zuero hoje … e a hornet com apenas 100 cc a mais e que custa uns 10 mil a mais, tbm é bicicleta?… a realidade é outra, se liga jovem … se essa 500 custasse menos de 20 mil as vendas da 300 e outros modelos que custam próximo de 15 mil diminuiria bastante, a honda não vai fazer isso … faça as comparações de cilindradas e veja que o custo beneficio está satisfatório … sempre tem um que quer criticar um ótimo lançamento …

  12. Goldman

    8 de outubro de 2013 at 20:27

    ER6-N aparenta ser um custo benefício melhor

    • thiagoW

      9 de outubro de 2013 at 1:14

      e a XJ6 da yamaha eh 28 mil… com 28 cv a mais… e eh tetracilindrica..

      • FernandoFox

        9 de outubro de 2013 at 10:09

        28 não é 20. Se for assim a Hornet está por 34, muito melhor que que a XJ6.

  13. guparana

    8 de outubro de 2013 at 21:12

    A decepção foi grande. 2 cilindros é brincadeira.
    Agora a Yamaha lança uma sopa de letrinhas ( XJN – Nunca ví uma combinação tão mal feita) com 500cc 4 cilindros e pronto, a Hondinha já era…

    • Lelis

      23 de novembro de 2013 at 0:06

      Dois cilindros em 500 cc tá excelente para a proposta da moto. Com menos cilindros, ela tem mais força em giros baixos e médios, além de ser muito mais econômica. Não gosto é de uma com 660 cc e apenas um cilindro.

    • Andre

      27 de novembro de 2013 at 17:39

      outro megalomaniaco … então, seguindo sua lógica, uma moto de 1000cc deve ter 8 cilindros? … vc deve ser um amante de comet, aquele trator com motor de fusca que só faz barulho …

  14. Alvaro Guatura

    8 de outubro de 2013 at 21:16

    Agressivo seria R$18990..
    ta caro, bem caro!

    • Andre

      27 de novembro de 2013 at 17:42

      Eu acho que R$18.989,99 seria mais justo! … arredonda esse valor jovem …

  15. Matheus

    8 de outubro de 2013 at 21:53

    Ta cara, vejo q a er6n tem custo beneficio bem melhor. Ta custando 25k pq eh lancamento, pq as ultimas do modelo anterior sairam por 22. Logo a kawa baixa um pouco a er6 e a honda vai penar como a cbr250. Ja tive 1 cb500 e era muito boa, mas o mercado era carente de opcoes. Agora eh diferente.

  16. Jorge

    8 de outubro de 2013 at 22:26

    Aqui en Buenos Aires ocurre exactamente lo mismo.. es un mal latinoamericano de las grandes ciudades… por eso uso custom / chopper. Saludos e bom mundial !!

  17. Gaucho02

    8 de outubro de 2013 at 23:46

    Vai custar uns 25 mil na loja a mais simples, e com isso fica muito perto das 650 da suzuki/kawasaki…

    • thiago

      9 de outubro de 2013 at 1:14

      e a XJ6 da yamaha eh 28 mil… com 28 cv a mais…

      • FernandoFox

        9 de outubro de 2013 at 10:12

        A Hornet é 34 com 108cv

        • carlos

          19 de outubro de 2013 at 8:54

          A hornet ja vem com o ladrao junto. Eh comprar e ficar sem! Ou andar em bando feito urubu! KKK "Ronda" eh "ronda" mesmo.

          • FernandoFox

            21 de outubro de 2013 at 17:57

            Mas aí o problema está onde você mora e não na moto.

          • brito

            16 de dezembro de 2013 at 14:15

            ashuashuashu…verdade brother! por isso já tô imaginando o vento no rosto…

  18. @sr_renaan

    9 de outubro de 2013 at 1:31

    Não curti o som do motor :(

  19. Carlao GTS

    9 de outubro de 2013 at 3:25

    o mercado está carente é de preços ! 20.000 abaixo!
    HONDA? pare com essa ganância idiota;
    pq nunca trouxe a CB 400 4cil. por 15.000 ?
    daqui a pouco vai lançar a CB1000 com esse 2cil tbm?
    quer detonar o portfólio.
    vamos trabalhar? ganhe menos ,mas, ganhe sempre!

    • FernandoFox

      9 de outubro de 2013 at 10:18

      Você é daqueles que moto boa é 4 cil. né. Você sabe as diferenças e os benefícios desses motores 2 cil. ? Não né, só sabe que o barulho dos 4cil. é legal pra tirar o escape e ficar enchendo saco de todos na rua ?

      • Sidious_Darth

        9 de outubro de 2013 at 11:53

        Olha, pragmaticamente falando, motores com menos cilindros costumam vibrar mais , mas tem um bom torque. A xt 660 (1 cilindro) é mais bruta que a bmw 650 gs da época que tinha dois cilindros. Mas, tecnicamente, qual seria a vantagem de uma moto com menos cilindros?

        • FernandoFox

          9 de outubro de 2013 at 18:31

          Motores mono serão vibrarão muito e quanto maior a capacidade, maior será a vibração e o torque também. Ex: A Xt 660 tem torque igual a Hornet e arranca até os 100km junto mas tem bem menos potência. A Ducati Panigale tem mais torque que qualquer concorrente de 4 cil. Motores 4cil pequenos são motores ruins pra cidade pq precisam de alta rotação pra gerar força. Nem todos os 2 cil vibram muito, os twin vibram muito pouco e têm um consumo baixíssimo, haja vista a TDM900 que faz 25km/l a NC700 que faz 32 km/l. Se for assim compre uma 6cil e verá o que é um motor sem vibração e com um som maravilhoso. Em suma, depende da proposta da moto e o que vc espera dela. deixemos de lado esse papo de lado que moto boa são as de 4cil

    • Nogueira

      9 de outubro de 2013 at 12:27

      Se você não sabe a Honda vai apresentar uma moto nova no Salão de Milão em novembro uma super esportiva limitada e será muito bem cotada Honda RC213V. Ela vai possuir motor V4, pois a Honda como muitas outras marcas sabe que motores V2, L2, Twin, 3 cilindros e V4 apresentam desempenho acima dos 4-line , tanto em potência como em torque. As motos da Repsol MotoGP é V4 e olha o desempenho(mesmo que isso afete o ronco) 4-line é bom só pelo ronco linear e ausência de vibração. Os motores Twin e V4 serão o futuro da marca.

    • Lelis

      23 de novembro de 2013 at 0:11

      Acho que vc não entende nada de cilindros e cilindrada. As de 4 cilindros já estão dando lugar as de 3 cilindros por terem mais torque em baixo e médio giro. Além do mais, qual a vantagem de uma moto que atinge 300 km/h no Brasil. Vale mais uma que acelere até os 150 km/h em menos tempo.

      • Anderson mianda

        9 de janeiro de 2014 at 23:12

        Concordo completamente.

  20. @Seu_Ghu

    9 de outubro de 2013 at 8:24

    honda, hondando como sempre.
    a Kawazaki tem uma 2 Cilindros 650cc muito mais interessante
    por 25 dilmas, da para pegar uma XJ6 ou uma GSX 650 da Suzuki que ambas são 4 cilindros.
    enquanto brasileiro for idiota de comprar moto dizendo "mas é HONDA" (como se fosse grandes coisas) ela vai continuando cobrando caro por motos que não valem o que cobram.

  21. marquesw

    9 de outubro de 2013 at 9:14

    Fiquei na expectativa do comportamento da CB500R, o autor só descreveu a CB500F.

  22. LEONARDO40

    9 de outubro de 2013 at 11:41

    Achei uma moto interessante e com um preço até convidativo… eu compraria.

  23. Sidious_Darth

    9 de outubro de 2013 at 11:50

    A cg 500 está bonita, mas meu coração é yamaha…rs

    • carlao GTS

      9 de outubro de 2013 at 12:36

      né sidious…pena que ela nem liga pra nós…

      • ancelmohenrique

        10 de outubro de 2013 at 13:14

        amor nao correspondido… trágico

  24. carlao GTS

    9 de outubro de 2013 at 12:32

    sou daqueles que no mínimo , googla pra tentar não fala abobrinha ….CB 500 2005 , 54 cv ,enfim….
    no momento ando numa 250 .
    onde eu falei que a moto é ruim ? vá andar de moto…

  25. carlao GTS

    9 de outubro de 2013 at 12:38

    e nem de "Onda" eu gosto

  26. lietzsche

    9 de outubro de 2013 at 23:45

    um motor de moto v4 em condições iguais nunca terá mais potencia que um 4 em linha, apenas torque maior. ainda mais porque os pistões estão no mesmo virabrequim, só tempo da queima é diferente, não é como carro com motor em v em que cada pistão estão em angulos diferentes no virabrequim.

    mas apoio a ideia acima de 400cc com 4 cilindros, ou a hornetinha americana 250cc com 4 cilindros

  27. revoltado

    10 de outubro de 2013 at 4:17

    eu queria muito a cbr 500r tenho dinheiro não tenho e coragem, aqui e são paulo e comprar e morrer, e não vai ser da queda não, normalmente essas motos são roubadas no mesmo mês que sai da loja, nesse país de ladrão é assim que funciona.. vc compra a moto por 25 mil, o ladrão rouba e vende por 500 reais, automaticamente vc (trouxa) tem que comprar outra moto, o ladrão e quem movimenta o brasil, porque vc acha q o salário mínimo é 600 e o vale reclusão e 900? sou policial e aqui em sp as viaturas são proibidas de correr atrás de moto pra não bater e gerar custo pro estado. mas roubado mesmo somos pelos políticos essa moto nos estados unidos vai sair no máximo 7 mil dólares aqui com sete mil vc não anda de CG.

  28. Eduardo

    11 de outubro de 2013 at 10:13

    Gasta mais que a própria NC700, custa quase o vlr da Kawa 650, mais potente, anda junto com uma Kawa 300… 4cv a menos que a última CB500, que na Europa ainda chegava a 58cv… Sem comentários…

  29. Diggo

    12 de outubro de 2013 at 3:40

    Não entendo muito de moto, mas por não ter muita diferente de tamanho no motor, ele tem só metade da potência da CB600F Hornet. Achei pouco.

  30. Sandro Neto

    13 de outubro de 2013 at 16:19

    O Honda PARA !!!!!!!! 2 cilindros vai cometer o mesmo erro da concorrência fala sério e não vem com esse papo de economia e poluir essa não cola.

  31. Rodrigo

    15 de outubro de 2013 at 21:33

    400cc 4cil seria o canal

  32. Carlos

    19 de outubro de 2013 at 9:01

    Se a kawasaki nao fosse tao gananciosa no preço de sua er6n, e nao fosse tao ruim no pos venda, esta 500 nao teria vez. Mas se o mercado paga quase 20 mil numa falcon 400i monocilindrica, acredito ate que ira vender bem.

  33. rafaeltreviz

    21 de outubro de 2013 at 15:40

    Vai vender igual água, a galera não quer saber se é 2 ou 4 cilindros, mas sim do preço que está ótimo em relação a concorrência, até eu fiquei empolgado aqui…

  34. Rogério Sampaio

    23 de outubro de 2013 at 15:54

    tão bonitas hein?
    gostei das vermelhas

  35. toni

    25 de outubro de 2013 at 11:04

    Infelizmente, hoje as pessoas andam assistindo vídeo no carro, usando celular, bebendo, sem carteira, tem cerol em cada pipa, muita gente não sabe fazer curva e não respeitam a faixa cortando na contra-mão. Para completar todo esse caos NÃO EXISTE FISCALIZAÇÃO dessa zona toda. Sem falar da falta de segurança pública, onde o governo vê segurança de forma imatura, hipócrita, e nada profissional. Ao invés de combater organizações criminosas (NEGA A EXISTÉNCIA DELAS), ao invés de regulamentar e habilitar o porte de arma (TRATA ISSO COMO UM TABU E CAI EM CIMA DE BRINQUEDOS) ao invés de tratar o assunto com seriedade prefere se eximir de qualquer responsabilidade.

  36. Theodoro

    29 de novembro de 2013 at 16:58

    Estou avaliando comprar uma Er-6N 2013, que está saindo a 24,5 nas concession. sem abs. Dar 12.5 de entrada e 24 de 600,00. Só não sei se estou me precipitando, pois talvez a Kawa abaixe o preço para não perder mercado para a Cb500 em 2014. Fiz um teste drive na Er-6N e gostei, alguma sugestão?

  37. raimundo

    18 de março de 2014 at 19:28

    cb 500 por esse preço… com mais 5.000 pego uma xj6.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>