CARPLACE

Garagem CARPLACE: Peugeot 408 1.6 THP em detalhes, consumo e impressões ao dirigir

Avaliação - Peugeot 408 Turbo

Assim como fizemos com a avaliação do Fluence, vamos concentrar nesta matéria as principais informações de nossa avaliação do Peugeot 408 1.6 THP nesta matéria, passando pelos itens de série e acabamento interno e concluindo com as impressões ao dirigir. Confira.

Avaliação Peugeot 408 1.6 THP Turbo

Sedan médio top de linha esportivo: diversão em família
Até pouco tempo atrás, carro com motor turbo era coisa de jovem maluco, mas agora, tem também para tiozão que quer mais prazer em dirigir mesmo com a família a bordo.
Por: Alexandre Akashi

Motor do Peugeot 408 1.6 Turbo

Motor 1.6 litro, 16 válvulas, de injeção direta, turbo. Rende 165 cv de potência a 6.000 rpm, com torque máximo de 24,5 kgfm a 1.400 rpm. Bloco, cabeçote e carter de alumínio, acoplado a uma transmissão automática de seis velocidades com opção de mudanças manuais, sequenciais. Estes são alguns dos atributos mais distintos do sedan médio top de linha da Peugeot, o 408 THP, e a lista não para por ai.

Câmbio do 408 1.6 Turbo

Mais distintos pois apesar de ser pequeno, o motor 1.6 litro tem performance muito boa para um sedan de mais de 1.500 kg (mais precisamente 1.527 kg, segundo a Peugeot). A caixa de transmissão automática de seis velocidades é ágil e não patina como as de quatro, o que proporciona um bom nível de ‘fun to drive’, como as montadoras gostam de dizer. Mas, como tudo, podia ser melhor.

No processo de downsizing de motores (uma tendência que está na moda, principamente na Europa), a Peugeot foi bastante agressiva neste modelo ao adotar o 1.6 litro. Tudo bem, o motor desenvolve mais de 100 cv por litro, mas se tivesse optado por um 2.0 litros de 210 cv, não haveria críticas (talvez o custo…).

Vale lembrar que o downsizing de motores é quando a montadora substitui propulsores de elevada capacidade volumétrica por outros menores, mas normalmente equipados com injeção direta de combustível sob alta pressão (acima de 100 bar – nos carros normais, a pressão é de 4 bar) e turbocompressor, muitos ainda acompanhados de sistemas de variação de abertura de válvulas e coletores de admissão e também turbos de geometria variável.

Acabamento interno - Peugeot 408 Turbo

Assim, dirigir o Peugeot 408 THP é tão emocionante quanto o antigo 407 V6, de 3.0 litros, que rendia 211 cv a 6.000 rpm e torque máximo de 29 kgfm a 3.750 rpm, porém com maior economia de combustível. Em velocidade constante, a 120 km/h, na estrada, a média foi de 12km/l. Já a 90 km/h, esse número subiu para 16km/l. Na cidade, a média de consumo fica na faixa de 8,5 km/litro, o que pode ser considerada muito boa pela potência e torque que oferece.

Equipamentos
O 408 THP tem o mesmo nível de acabamento e equipamentos do 408 Griffe 2.0 Automático (e o mesmo preço também, R$ 81.490), mas com a vantagem do conjunto powertrain mais sofisticado. Só perde por não ser flex, como o motor 2.0 litros, mas em muitos lugares do Brasil nem compensa usar etanol, assim, os ganhos são mais vantajosos do que essa perda.

Avaliação Peugeot 408 1.6 THP

Há versões mais simples, todos com motor 2.0 litros flex, com 16 válvulas, de 151 cv a 6.000 rpm (etanol) e 143 cv a 6.250 rpm (gasolina) com torque máximo de 22 kgfm/20 kgfm a 4.000 rpm (etanol/gasolina), a partir de R$ 59.990 (versão de entrada – Allure, com câmbio manual). Há ainda três versões com câmbio automático de quatro velocidades (Allure, por R$ 64.990, Feline, por R$ 74.900, e Griffe, por R$ 81.490).

Peugeot 408 1.6 Turbo

Assim, quem pensa na versão topo de linha, melhor escolher a THP. Além do melhor motor e câmbio, leva junto a lista mais completa de equipamentos, como faróis de xenon autodirecionais, sensor dianteiro de ajuda para estacionamento, banco do motorista com regulagens elétricas, GPS integrado ao painel com tela colorida multifunções de 7” rebatível eletricamente. Estes são exclusivos para as versões Griffe e THP.

Clique aqui para confira todos os itens de série do Peugeot 408 1.6 THP

Vida a bordo
Já foi possível notar que a vida a bordo do Peugeot 408 THP é bacana. A maior crítica fica por conta da posição de dirigir, que diferentemente da maioria dos sedans, em que se ao entrar no veículo as pernas ficam levemente flexionadas e a linha de cintura bem elevada, neste Peugeot se dirige quase sentado, como em uma cadeira.

Acabamento - Peugeot 408 1.6 Turbo

Causou mais estranheza do que desconforto. Portanto, é uma questão de gosto e costume. Cheguei a ter a sensação de estar em uma minivan, como a 3008, ou ainda em alguns modelos Fiat (o Stilo era pior que isso, apesar de ter estilo, era estranho de dirigir, por conta da posição). Bom, ficou claro que gosto de carro com posição de dirigir mais baixa, mais esportivo. Assim, nem todos precisam concordar comigo.

Acabamento 408 1.6 Turbo

Os controles estão todos à mão. Do lado direito o satélite do sistema de áudio e comandos do limpador de parabrisas, e do esquerdo o piloto automático e as chaves de setas e acionamento dos faróis. Nada de botões no volante.

Acabamento 408 1.6 Turbo

A tela de 7 polegadas retrátil é bem bacana, e imediatamente encontra o sinal do GPS, sem precisar apertar nenhum botão. É possível desligar a tela ou ainda abaixá-la, mas ai perde-se contato com algumas informações interessantes, como temperatura externa e sintonia do áudio. O Bluetooth tem um bom áudio streaming e é fácil de configurar, tanto que foi necessário apenas uma tentativa.

Peugeot 408 Turbo

O painel conta com fundo branco e computador de bordo no centro, com informações básicas, em três telas: duas de valores médios (consumo e velocidade) e uma de valores instantâneos (consumo e autonomia). Marca ainda a posição do câmbio e os valores do piloto automático ou limitador de velocidade.

A Peugeot podia atualizar o software de valor instantâneo de consumo, pois só começa a marcar acima de 30 km/h. Em muitas situações, fica-se horas rodando abaixo disso, e nestas situações o equipamento se torna inútil. Interessante são alguns sistemas que apresentam consumo instantâneo em litros por hora, quando a velocidade cai próximo do zero, como o Ford Focus, por exemplo. Porém, gosto muito do sistema da Peugeot, que permite visualizar em uma única tela, três parâmetros (consumo médio, velocidade média e distância percorrida).

Peugeot 408 Turbo

Quem viaja atrás conta com saídas de ar no console central e apoio de braços no centro, com porta copos. É fácil também o acesso às tomadas de energia (12 V) e entradas auxiliares. O espaço de porta-malas é bom, com 526 litros, livres, pois a Peugeot acertou em cheio ao colocar dobradiças pantográficas, que não roubam espaço. Só faltaram os amortecedores no capô ao invés da varetinha, para ficar mais fácil mostrar o belo conjunto de powertrain. O carro é grande, mede 4,69 metros de comprimento, 1,815 m de largura e 1,52 m de altura, com 2,71 de entre-eixos.

Com tanque de gasolina de 60 litros, o 408 1.6 Turbo tem autonomia para uma viagem de mais de 600 km, se não abusar muito do acelerador, algo difícil em um modelo que pede cada vez mais velocidade. Em um breve teste de aceleração, foi possível chegar a 170 km/h sem esforço nenhum. Pena que limitaram a rotação a 6.500 rpm, algo conservador para um motor desses, mas como é um carro de passeio, para “tiozão” que gosta de um pouco mais de emoção em família, tudo bem.

Avaliação - Peugeto 408 Turbo

Porém, é preciso ficar atento ao comportamento dinâmico do veículo, que conta com suspensão independente nas quatro rodas, mas com sistemas simples, tipo pseudo McPherson na dianteira e travessa deformável na traseira. Poderia ser um multilink, que oferece mais estabilidade, porém deixaria o carro mais duro e com menor sensação de conforto. Assim, reafirmo: muito bom para tiozão que gosta de um pouco mais de emoção em família.

Em resumo, o 408 1.6 THP é um carro mais divertido do que os concorrentes aspirados e conta com um conjunto mecânico muito bom. O consumo médio de 8,5 km/litro na cidade e de 12 km/litro na estrada também são positivos.

Na próxima matéria, confira os dados de desempenho e também as considerações finais.

Publicidade

99 comentários

  1. Daniel Dourado

    16 de abril de 2012 at 19:48

    Legal, um bom custo benefício.

    • Cristiano

      17 de abril de 2012 at 2:49

      Ah sim, pagar 80 mil por um carro cujo conteúdo não vale 70… de tanto martelarem as mentiras que o povo está achando barato pagar 80 mil num carro com motor 1.6… Daí você vai dizer, "mas ele tem turbo." E um turbo desse é uma merreca de barato para a fábrica. Até mesmo o câmbio não deve ter custado mais de 2.000 reais para a Peugeot. Para nós eles aumentam os preços em pelo menos 3x!!!!

      Ainda prefiro pagar isso num carro de porte maior e mais recursos mesmo consumindo mais porque sei que o motor dele vai durar mais. Motor bom gera muita força aos 3.000 rpm e não aos 6.000.

      • frerdy

        17 de abril de 2012 at 10:29

        Ué, esse 1.6T já entrega o torque máximo a 1400rpm. A curva de torque dele que deixa o motor interessante.

        Diga um exemplo de melhor opção nessa faixa então?

      • AndersonDak

        17 de abril de 2012 at 17:36

        e é bom pagar 82 mil em uma cruze hatch?

      • José Oliveira

        17 de abril de 2012 at 23:46

        Concordo pelo preço e pelo qu eofereçe, o que temos de melhor no mercado??? Corola, Civic….por favor.

        • dones

          7 de julho de 2012 at 15:58

          Jetta TSI

      • Cezar

        18 de abril de 2012 at 20:19

        A Melhor opção é não comprar nada.

        • Bruno

          15 de julho de 2012 at 9:37

          Vai lá garotão.. Anda a pé.. Sustentabilidade é a palavra da moda, né?

      • Bruno

        15 de julho de 2012 at 9:40

        Concordo com tudo que disse sobre o valor elevado. Mas agora diga-me qual é esse tal carro de porte maior e mais recursos nesse valor? é no Brasil?

  2. Brasil sem carroça

    16 de abril de 2012 at 20:00

    Mais uma vez teste em alta velocidade. Para que?
    Sei que é só teste.
    Temos que parar um pouco e pensar porque morrem em torno de 40.000 pessoas por ano no Brasil.
    Muito disto é por causa de carroças, estradas ruins, bebida, mas também vejo, pois trabalho muito viajando que cada vez mais ninguém respeita ninguém e quem tem carrão se acha dono do pedaço, já vem dando sinal de luz, quando está bem lá atrás e estamos ultrapassando alguém.
    Sei que irão falar do direito de ir e vir, mas então assim vai continuar esta guerra declarada no trânsito.
    Falam em industrias de multas, porém é só andar no limite de velocidade que aí estas "empresas" irão quebrar, não acham?
    Excelente site.
    Obs: Me provem o contrário que a "maioria" que comprar este carro vai rodar só a 120 km|h, a vai, kkkkkkkkk.
    Abraços

    • CARPLACE

      16 de abril de 2012 at 20:15

      Amigo faz parte do trabalho. Cada um sabe do seu limite, e apesar como bem colocou, acidentes não acontecem apenas nas estradas. Caminhoneiros pegam no sono, adolescentes sem carteira depois da balada, falta de respeito no geral. Nosso dever é informar, e o de cada cidadão é cumprir o seu papel.

      • YoOdEx

        16 de abril de 2012 at 21:15

        Lembrando que ao contrário de que muitos pensam, de que 90% dos acidentes é culpa dos motoristas, na verdade grande parte é devido aos órgãos públicos e projetos mal pensados que negligenciam problemas.

        Basta deparar frequentemente com sinalizações absurdas, estradas mal cuidadas, curvas com visibilidade comprometedora.

        Só como exemplo, aqui em BH tem uma trincheira em curva que se bifurca. Você está em uma avenida importante (Contorno) entra numa trincheira sem visibilidade (pois é em curva) e se depara com a escolha: direita ou esquerda. Se for em frente bate em uma parede de concreto que mais parece uma lamina para cortar o carro ao meio! Agora, quem não conhece se depara com a situação, fica perdido sem saber ao certo, quando decide pode tentar um lado que tem um carro já passando. Ai não dá tempo de frear e é acidente na certa!

      • EAM

        16 de abril de 2012 at 21:19

        Mas que vocês ajudam com estes comentários, ajudam "amigo", parabéns pelo comentário Brasil sem carroça..

      • djowl

        16 de abril de 2012 at 22:31

        Cada um sabe o seu limite?? Faz parte do trabalho?? sofrível esse comentário… Pra que lei então, pra que organizar o transito…

        As pessoas e a cultura do brasileiro gosta de meter o pau no governo, mas as pessoas não fazem a sua parte. Ou a sociedade se junta para trabalhar todos juntos ou continuaremos nessa guerra urbana que mata mais do que a guerra do iraque.

        Vivemos numa sociedade egoista, que ignora os idosos, e a grande expressão do que somos é no poder do volante de um carro…; é com o poder que conhecemos quem somos e somos o que esse trânsito nos revela hoje.

        Ver um meio de comunicação alegar que "faz parte do trabalho ou cada um sabe o seu limite" e que se sente no direito ficar apontando as falhas alheias em tantas repostagens parece um tanto estranho, talvez hipócrita.

        triste exemplo…

        • CARPLACE

          17 de abril de 2012 at 10:37

          "djowl", em primeiro lugar, não é porque testamos carros que não somos comuns. Temos família, filhos, esposas e passamos o mesmo que todo mundo. Um espertinho cortando pelo acostamento, um pilantra tesourando o trânsito em alta velocidade na estrada, um outro buzinando num trânsito completamente parado. Aqui, temos que nos ater à informação e tratar do assunto citado em matérias oportunas. Quando dissemos que cada um deve saber o limite, é o limite seguro, o limite dentro da Lei, o limite de velocidade e não o limite do carro ou do que acha que "pilota".

          Bem, o nosso trabalho é testar o carro em local seguro e com condições de segurança. Você pode discordar, mas é uma informação necessária. Em outras matérias, onde por exemplo fala-se de uma Ferrari, ninguém comenta negativamente o fato de tal modelo chegar a 250 km/h ou 300 km/h, obviamente testado num ambiente totalmente controlado.

          Do jeito como você colocou, achando até que é hipócrita a informação dada, a solução seria colocar um aviso em todos os posts "Atenção, a velocidade máxima deste carro é 200 km/h, mas você deve respeitar o limite de velocidade de cada rodovia. No entanto, se você for utilizar o carro em um autódromo, num track day por exemplo, tudo bem, pode atingir esta velocidade".

          Uma coisa é passar informação, e outra é incitar a direção perigosa e em alta velocidade, fato que não fazemos em momento algum. Na matéria oportuna abordaremos o problema, e não na avaliação de um modelo.

          • EDUMACEDO

            17 de abril de 2012 at 11:26

            parabéns carplace….pela resposta, acho que "djowl" é uns dos unicos a achar que vcs pegaram 170km/h no centro da cidade…kkkkkkkk cada comentário que vcs aturam chega até ser contrangedor.
            Otima explicação

          • fredggp

            17 de abril de 2012 at 12:44

            É aquela estória… Não dá pra escrever e explicar TUDO ao mesmo tempo. Espera-se um mínimo de entendimento do leitor. De qualquer forma foi bom o eclarecimento dado pela revista.

          • djowl

            17 de abril de 2012 at 16:28

            Não tive a intenção de desrespeitar vocês ou o seu trabalho. Apenas acho sua resposta no mínimo dúbia.

            Nosso trânsito está uma desordem, e quando alguém assume correr mesmo numa situação controlada, assume-se que se conhece o futuro e suas variaveis. Sou engenheiro mecânico, posso dizer que com inércia e variáveis não se brinca. Além disso, cada um a nossa volta tem uma reação diferente.

            E com tudo isso, vendo o caos das motos e carros e enorme numero de pessoas machucadas, não percebo o governo ou as mídias abraçando a questão com seriedade. O importante é o poder e pronto.

            Reitero que se deixei transparecer um julgamento ruim de vocês não foi minha intenção, foi apenas minha paixão tanto pelos carros quanto pelas pessoas. E as pessoas são mais importantes. Não espere perder alguém próximo na questão do trânsito para que essa bandeira seja levantada.

            E aos que me criticaram…um grande abraço.

            djowl

    • Marlon

      16 de abril de 2012 at 21:12

      Estradas são dimensionadas, concebidas e construídas para se rodar com velocidade bem acima da permitida por lei (caso da excelente Rod. dos Bandeirantes). Porém, como no Brasil temos em nosso trânsito carros em péssimo estado de conservação e nada seguros, além de motoristas muito despreparados, limita-se a velocidade abaixo do que a rodovia poderia proporcionar. Assim, quando vê alguem com um carro no nível do peugeot 408 andando acima da velocidade permitida em uma via.. pode até acusa-lo de estar infringindo uma lei, mas nao acusa-lo de este tipo de direção ser a causa de muitos acidentes.
      Leia-se peugeot 408 a 130km/h é muito mais vantagem, nao só para o próprio motorista, mas para os outros que utilizam a via do que um fusca a 100km/h.
      Como nao se pode limitar a velocidade da via pelo modelo do carro, acabam limitando por experiências empíricas em uma velocidade que protege a todos.
      Espero que pare com essa hipocrisia besta e ignorante.

      • Ricardo

        17 de abril de 2012 at 9:46

        Se tivessem só carros novos nas estradas e estou falando de CARROS e não as carroças que temos no Brasil evitaria -se muitos acidentes.

      • Wellington_L

        17 de abril de 2012 at 22:27

        Pois é…

  3. John

    16 de abril de 2012 at 20:47

    Só não concordo que é carro de tiozão…Realmente um belo carro que oferece mais por menos na versão top de linha…Carro muito gostoso de dirigir, com detalhes que fazem a diferença e com um ótimo acabamento interno…

  4. Leonardo Almeida Bastos

    16 de abril de 2012 at 20:55

    Falou falou e nao disse quase nada. Aceleração? Retomada? Comparativo de exemplo? Outra coisa, Stilo estranho? Tentou ajustar a altura do banco? Abc

    • Marclawyer

      17 de abril de 2012 at 7:45

      Trecho final do post: "Na próxima matéria, confira os dados de desempenho e também as considerações finais."
      O banco alto é característica da maioria dos carros franceses, coisa que o Peugeot 408 não foge à regra.

    • saosao

      17 de abril de 2012 at 13:09

      Carplace é um blog, onde se vê claramente a opinião pessoal da pessoa que está testando.
      Diferente do BCWS, que possui equipe técnica e capaz de gerar dados bastante precisos como base de informações.

      • Henrique_SSa-BA

        18 de abril de 2012 at 0:49

        Disse bem. Não vejo isso como um demérito, nem afirmo que veja. Prefiro alguém declaradamente inclinado do que alguém hipocritamente imparcial. Automóvel instiga paixões. Imparcialidade? Deixa pros repórteres e técnicos especializados. Gostei da resposta acima quando a CP disse que são pessoas comuns.

        Gosto muito mesmo é quando aparecem os comentários "técnicos" (Ainda que não sejam técnicos).

  5. Cristiano_RJ

    16 de abril de 2012 at 20:55

    Espero que no próximo post venha um relato mais completo sobre o comportamento e o desempenho do 408 THP, assim como a última postagem do Jetta Variant. Informações sobre visibilidade, comportamento em curvas e retas, comportamento em alta velocidade e no trânsito urbano, conforto dinâmico e comparativo com os demais sedans já testados.

  6. aleneo2

    16 de abril de 2012 at 21:07

    a peugeot poderia colocar esse motor 1.6 com cambio manual e automatico em toda linha 308 e 408, eu duvido muito que as pessoas comprem o 2.0 só por ser flex… apesar do que o brasileiro é dificil de entender.

    • Marclawyer

      17 de abril de 2012 at 7:47

      O problema é justamente esse: o motor 1.6 THP não é flex e o custo de adaptação seria quase inviável, haja vista que é uma unidade de características técnicas muito "rebuscadas". A oferta do 2.0, assim, prossegue porque nosso mercado "reclama" por motores flex (na minha humilde opinião, coisa de leigo; mas fazer o quê?).

  7. YoOdEx

    16 de abril de 2012 at 21:11

    Esses motores turbos são fantásticos! Andei em um Jetta Tsi de um amigo. 4 pessoas dentro (homens adultos), ar ligado, subindo uma serra, o carro acelerava como se você em um motor 2.0 acelerasse sozinho, sem ar ligado em um leve descida. Era impressionante o folego do motor. Numa subida de inclinação razoável, o carro de 60km/h até 160km/h em questão de segundos, e sem dificuldade.

    Espero que se torne cada dia mais comuns esses motores! Palmas para a Peugeout.. agora falta trazer para pelo menos as versões intermediárias, inclusive do 308!

  8. Brasil sem carroça

    16 de abril de 2012 at 21:22

    Carplace. Não quis em momento nenhum criticar seu trabalho, que aliás, acho o melhor entre os sites de auto.
    Só quis deixar uma reflexão, que a cada dia que passa nosso transito se torna mais caótico, morrendo mais pessoas do que guerras. E acredito que devemos todos começar a analisar além de motores potentes, como iremos colocar estes motores para rodar no transito de São Paulo por exemplo, ou mesmo em nossas estradas que não vejo nenhuma que comportam estes tipos de carros mais potentes.
    Gosto de carro como qualquer brasileiro, mas também me preocupo com o dia que sairei e não voltarei mais para casa.
    Para aqueles que me criticarem, atenção para o fato de que este assunto também faz parte, " e muito" do mundo dos automóveis.
    Abraços

    • oleodecart

      17 de abril de 2012 at 9:39

      Concordo plenamente com a sua opinião,Brasil sem carroça, falta responsabilidade das pessoas em relação ao trânsito,respeito com o outro que do outro lado é você.Temos que aprender no dia a dia dirigir defensivamente, só que hoje essa molecada ,coloca um bonezinho na cabeça,pega um golzinho 1.0 e se acha o piloto de fórmula 1,de arrancada,ou o que o valha.São imprevisíveis,não dão seta,dirigem muito acima da velocidade,não respeitam sinal,além de muitas outras ignorâncias.querem se autoafirmar ou dar uma trégua às suas frustrações e afogar as mágoas enfiando o pé no acelerador.São pessoas frustradas e que poderiam curtir suas frustrações de outra forma mas que não prejudicasse oucolocasse em risco as pessoas que não tem nada a ver com seus recalques. Por isso concordo com você.Lembrar sempre que quem agride hoje poderá ser a vítima amanhã.Só não concordo com uma coisa.Gosto de carro mais potente pois os acho mais seguros em relação a uma ultrapassagem,seus opcionais relativos à segurança são em maior número e mais eficientes,só isso.Valeu,parabéns.

    • CARPLACE

      17 de abril de 2012 at 10:40

      Brasil sem carroça, claro.
      Este é um tema que há tempos debatemos internamente para tentar abordá-lo. Não apenas sobre velocidade, mas também sobre educação, cortesia, respeito ao próximo. Em breve vamos abordar isto.

  9. Felix_S

    16 de abril de 2012 at 21:34

    Não concordo que necessariamente o multilink deixaria o carro duro e menos confortável. Mas já que isso não dá pra mudar e o que procuro é um bom compromisso entre conforto e estabilidade… por isso pergunto: vcs acharam o 408 tão bom de rodagem como o Fluence?

    • Cristiano_RJ

      16 de abril de 2012 at 22:08

      Felix, não sou o CARPLACE, mas pelo que li em outras avaliações em outro blog, o Fluence tem um rodar mais suave, que privilegia o conforto, tipo Corolla; enquanto o 408 é bem mais firme e com direção direta, deixando um pouco a desejar no conforto dinâmico, mas com ótima estabilidade. Se quiser te repasso o link.

      • Felix_S

        16 de abril de 2012 at 22:26

        É que ano passado eu andei no 408 e achei o carro duro, mas depois o vendedor disse que o carro estava com a pressão dos pneus errada. Mas aquele câmbio não dá… Com o THP achei que o 408 merecia uma nova chance, mas esse carro nem aparece na revenda daqui da minha cidade! Sobre o link, eu gostaria de saber qual é esse outro blog. Obrigado Cristiano!

        • Cristiano_RJ

          16 de abril de 2012 at 22:48

          Beleza. Acho que o 408 é duro mesmo. Talvez para o que você procura o Fluence seja mais adequado. Porém, o THP possui um desempenho diferenciado no segmento e tem que ser considerado. Bem, seguem os links:

          - Este aqui é uma avaliação detalhada de 1 mês com o 408 flex: http://bestcars.uol.com.br/mes/peugeot-408-feline

          - Agora o mesmo teste, só que com o Fluence: http://bestcars.uol.com.br/mes/renault-fluence.ht

          - Agora, segue comparativo entre os franceses: 408, Fluence e C4 Pallas http://bestcars.uol.com.br/comp4/citroen-c4-peuge

          - Finalmente, outro comparativo, só que agora entre o Fluence, o Civic e o Jetta: http://bestcars.uol.com.br/comp4/honda-civic-rena

          Boa leitura e boa escolha!

          • Felix_S

            16 de abril de 2012 at 23:05

            Valeu Cristiano. Esse Best Cars também é muito bom, mas eu ainda não havia lido todas as reportagens, só os comparativos. Eu comecei a levar meu carro para ser avaliado nas concessionárias, mas precisa respirar fundo pra não ficar nervoso com as ofertas, né?

        • CARPLACE

          17 de abril de 2012 at 10:42

          Em termos de rodar suave, diríamos que a sequência entre os avaliados é a seguinte:

          Corolla > Fluence > Sentra > Civic > 408 > Cruze

          • Cristiano_RJ

            17 de abril de 2012 at 18:12

            Valeu CARPLACE. Esse tipo de comparação é muito útil para quem quer ter uma visão geral do segmento.

          • Cristiano_RJ

            23 de abril de 2012 at 9:47

            Tomo a liberdade de completar com minha avaliação pessoal após test drive:

            Corolla > Fluence > Sentra > Civic > 408 > Cruze > Lancer

          • odair

            17 de abril de 2012 at 18:51

            Não sei se há experiência na casa, mas poderiam encaixar nesta sequência Focus Sedan, Lancer, Jetta (os dois) e elantra?

          • Henrique_SSa-BA

            18 de abril de 2012 at 1:01

            Bacana, dá pra postar algo similar em relação a estabilidade nas curvas. Ou minha puerilidade não me deixou enxergar nessa linha a resposta ao que pergunto. Algo como Rodar suave ser inversamente proporcional à estabilidade.

    • saosao

      17 de abril de 2012 at 13:14

      Pela minha experiência de possuir um Civic, que tem suspensão multilink, considero que essa suspensão torna o carro mais duro e menos confortável sim.

  10. JosemarFloripa

    16 de abril de 2012 at 23:21

    o mercado está começando a ficar bom…esse peugeot é um bom carro, mas eu vou de Jetta 2.0 turbo, não tem pra ninguém nessa faixa de preço, é só comparar os números de desempenho

    • Marclawyer

      17 de abril de 2012 at 7:49

      Depende. Se você precisa de mais espaço interno (como eu: 03 crianças) a opção do 408 1.6 THP é mais interessante que o Jetta TSI (que também é um excelente carro que, embora tenha crescido na presente geração, ostenta dimensões mais acanhadas).

      • Felix_S

        17 de abril de 2012 at 8:05

        Quem tem filhos pequenos sabe que por segurança a gente pede para eles entrarem pela porta do lado da calçada, e aquele túnel alto do Jetta é complicado! (não estou falando de bebês em cadeira, obviamente). Principalmente no Jetta turbo a criançada vai bater a perna toda hora na saída de ar.

  11. Brasil sem carroça

    16 de abril de 2012 at 23:57

    Marlon, por isso que vivemos em uma democracia, onde cada um tem a sua opinião. Agora se termos uma lei pela média é Besta e Hipócrita ou Ignorante. Então se com lei tá essa zona. Tira a lei para ver o que acontece.
    Parece que 40.000 mortes para você é ignorância.
    Eu não vejo que grande parte disto seja culpa do governo. se você não sabe a lei é calculada também pelas condições médias das rodovias, então se todos respeitassem a lei, mesmo que tenha falhas haveria redução de 90 % nas mortes, isto é provado no mundo inteiro. Não adiantam leis se ninguém cumprir. Agora é claro que temos governo ruim, pistas piores e motoristas ignorantes, além de nossas carroças e caminhoneiros "loucos".
    Boa discussão não acham. Carplace poderia colocar de vez em quando, números, dados e reportagens que envolvam estas questões. Como exemplo temos uma campanha para mudar a lei de transito, a não foi acidente.
    Agora acho que irão concordar comigo, quem gosta de carro e não achar interessante discutir isto, acho que está muito focado em seu mundo e não no que vive.
    Abraço Marlon

    • Henrique_SSa-BA

      18 de abril de 2012 at 1:15

      O CTB ele alberga/protege o "menor" em detrimento da força do maior. Como deve ser. Mas na prática é o maior "engolindo" o menor. Explico, "quando estou" numa rodovia e o "caminhoneiro louco" faz fila com outros profissionais e não deixa distância de segurança nem espaço pra ultrapassagem dos menores "eu" esqueço que no dia anterior não dei preferência ao motociclista, ou que acelerei de modo a avançar sobre a faixa de pedestres ao notar a mudança de sinal verde para amarelo.

      O que falta é uma verdadeira educação para o trânsito, que envola a família, a escola e a sociedade como um todo

      • Henrique_SSa-BA

        18 de abril de 2012 at 1:19

        Sem educação, falta todo o resto, bons gestores públicos, bons representantes, bom serviço público de saúde e demais políticas públicas.

        E se estamos num ambiente em que os interessados se encontram, por que não discutir o assunto? CP põe no forno a postagem de abertura.

  12. douglas

    17 de abril de 2012 at 3:39

    Peugeot já resolveu o “problema” desse motor moderno com nossa “mijolina”.

    Lembro de alguns proprietários do 3008(que tem o mesmo motor THP) reclamando de falhas no motor e em quase todos os casos o motivo era o mesmo:combustível.A turbina simplesmente parava de “soprar”…

    Sou doido por esse 408 THP,mas tenho receio de comprá-lo por conta da adaptação desse ótimo motor com nossa “mijolina”.

    • Marclawyer

      17 de abril de 2012 at 10:56

      No fundo, é o que dá comprar um automóvel dessa estirpe, e querer colocar gasolina barata. Não tem milagre: aqui em Curitiba, litro de nafta abaixo de R$ 2,649, é por conta e risco do comprador…

  13. EDUMACEDO

    17 de abril de 2012 at 8:51

    Carrão….. 8,5km/l me surpreendeu, torque já aos 1.450rpm, é bom dmais, e pelo preço diante da concorrencia com corola altis, civic lxs, etc etc, o preço até que está no mesmo nivel, e um carro, pelo menos na minha opinião, muito superior.

  14. saosao

    17 de abril de 2012 at 13:11

    Se vc tem 80 mil, arranja facilmente mais 10 mil.

    Ou senão compra um com 1 ano de uso e seja muito feliz.

    • Cristiano_RJ

      18 de abril de 2012 at 20:17

      Não é tão simples assim. No limite inferior (R$ 70 mil), compro à vista dando meu usado na troca. No limite superior (R$ 80 mil), financio R$ 10 mil. Indo para R$ 90 mil, o aumento no financiamento é de 100%. Fora que aumentam os custos de propriedade (IPVA, seguro, manutenção). Então, tem que ser uma decisão muito bem pensada. Mas uma coisa eu já me decidi, não vou levar um modelo que não me atenda plenamente. Se tiver que chutar o pau da barraca, chutarei, mas por enquanto, vou aguardar os novos lançamentos.

      • saosao

        18 de abril de 2012 at 21:29

        Sim, é um aumento de 100%, mas sejamos francos: ter para gastar num carro 70 ou 80 mil é uma realidade para poucos. Já que vai financiar, faça os cálculos brincando com os juros e prazos e verá que as parcelas não serão tão diferente assim (tirando os 10 mil de diferença, claro).

        Independente de toda aquela discussão se tal carro vale o valor cobrado ou não, na questão de gosto, prefiro pagar mais caro por algo comprovadamente bom (no caso, excelente, como é o caso do TSI) do que algo que dizem que tem um ótimo custo/benefício, mas que vc não sabe o que será dele no futuro, entende? Não estou desmerecendo o Peugeot, mas vc já passou pela experiência de comprar no Groupon algo que está super barato, e quandorecebe, vê que é algo de segunda linha, que estão desovando estoque, e que o melhor mesmo não está em promoção?

        Novamente, não estou desmerecendo o Peugeot, mesmo pq não compraria nem um e nem outro, mas como vc bem disse, tem que te atender plenamente, e sendo o carro um bem de consumo caro, tem que atender também o seu ego!… falando francamente…

  15. Fernando

    17 de abril de 2012 at 14:04

    Bom carro mas Peugeot não dá.
    Basta ver o comportamento do pós venda no teste de de 60 mil km da 4 rodas do 3008.

    Carro é alemão e vinho é francês.
    Querer andar em carro frances e tomar vinho alemão não vai dar certo.

  16. Nivaldo

    17 de abril de 2012 at 14:48

    CARPLACE:
    1º Eu quero a afirmação que o 408 que roda só com gasolina, fez no seu teste 8,5 KM/L e a 120 12 KM/L e 16 Km/L a 90 Km/Hora/
    è muito pouco um flex faz muito melhor
    tendo a gasolina a R$2,80(premiun) o litro e o Alcool a R$1,67, para quem foi berrar aqui em Itapetininga/SP é esse os preços, tem-se o custo
    R$2,80/8,5Km/l = R$0,33Km/l, e se vc usar o preço do alcool o equivalente seria R$1,68/R$0,33Km/l = 5,09 Km/l
    e na estrada digamos a 120: R$2,80/12Km/l = R$0,23, e o equivalente a alcool será R$1,68/0,23Km/l = 7,20
    nesses parametros um carro flex é muito mais vantajoso
    eu tenho um CIVIC LXL 2011 automatico e faz 5,5Km/l na cidade e a 120 na castelo 9,05Km/l
    faço essa pergunta pois tinha a intenção em adquirir um 408?
    pois a informação que tinha era que ele faria 9,5Km/l na cidade e a 120 uns 15,6Km/l
    desde ja grato
    2,80/12 = 0,23

    • Odair

      17 de abril de 2012 at 22:40

      Com todo respeito, me adianto na tua colocação: não é que um flex faz muito melhor. É que o teu alcool é muito barato, comparando com a gasolina. (2.8-40%=1.68). A proporção normal da diferença de preço é 30%. Assim, se vc abastecer teu Civic com gasolina, provavelmente ele vai fazer as médias, respectivas de 7.15 e 11,77.

    • Luaan

      18 de abril de 2012 at 16:50

      Um flex que gira perdido, sem saber oque queima, de 165 cv e, 24.5 kgfm a 1.400 rpm? HAHAHAHAHAHAAHAHAHAHHAHA

  17. Murilo

    17 de abril de 2012 at 15:15

    Muito bom que as marcas francesas estejam colocando carros de bom gosto no país agora!Parabéns a peugeot torço para ela!

    • luizj

      15 de janeiro de 2014 at 13:48

      Concordo.

  18. LBM

    17 de abril de 2012 at 16:39

    VOLTANDO À VACA FRIA: este carro esté POR APENAS R$92.500,00 em concessionária em Brasília.

  19. José Oliveira

    17 de abril de 2012 at 23:53

    Estou com o mesmo problema, se o 308 THP ja esivesse a venda compraria um amanha, mas como so deve sair lá pra outubro, vou de 408 THP ou de Fluence Privilege, acho que o Jetta TSI por mais motor que tenha não vale os 90K de forma alguma.

  20. José Oliveira

    18 de abril de 2012 at 0:00

    Este carro me agrada muito, estou contando os minutos pra ler os testes de desempenho ……

    • luizj

      15 de janeiro de 2014 at 13:48

      Poise

  21. Luaan

    18 de abril de 2012 at 16:45

    ''Só perde por não ser flex'' ????
    Pois pra mim isso é uma grande vantagem! Não sei porque não temos opção de escolha entre o motor a gasolina e o flex, seria interessante para ver qual vende mais.

  22. RockInsideMind

    18 de abril de 2012 at 20:50

    Também não concordo com a afirmação "carro bom para tiozão", pois esse carro juntamente com o elantra me parecem ser os mais joviais da categoria .Já vi essa palavra pejorativa ser usada para o Fluence e agora para o 408 THP ,mas não me lembro de ter lido aqui no carplace essa referencia atribuída ao cívic e ao corola que inclusive deve ter agradado aos seus representantes(Também não acredito que tenha sido essa a intenção do blog).Gostei muito dese carro mas, não gostaria de estar dentro dele e ser classificado como tiozão assim como a maioria das pessoas não gostariam.

  23. Felix_S

    18 de abril de 2012 at 21:16

    Tenho uma proposta pra estudar até amanhã: um THP branco sem banco elétrico. É o meu Focus hatch GLX 2.0 10/11 mais R$40 conto. A vendedora ainda disse que dá pra brigar alguma coisa. Pensava num Cruze, mas na verdade minha vontade mesmo era o Jetta TSI, mas este tá uma briga dura com as duas concessionárias daqui. Aí apareceu esse THP, que vai para uma exposição, a não ser que eu decida comprá-lo… Tenho receio de abrir mão da facilidade de revenda, mas esse 408 é uma tentação. Principalmente porque a VW quer 55K de volta num TSI com teto e navegador!!!

    • Odair

      19 de abril de 2012 at 9:58

      Não esqueça q estão oferecendo 42 pila do teu Focus. Melhor vender por fora o teu e comprar à vista. Eles vão ganhar no novo e no teu também. Boa compra1

  24. gilmar

    21 de abril de 2012 at 14:04

    E o seguinte acho que muito leitores ai estão se mordendo de raiva referente a este 408 1.6 thp pois se realmente sabem este motor e um convenio psa (peugeot/ citroen) com a famosa mar BMW que rende seu 165cv contra o motor 2.0 de 151cv. sem disser outra parceria que a grande Peugeot fez tendo em seu carro um cambio da porsche tip tronic de 6 marchas seguencias.
    então caros amigos e um carro maginifico e como a peugeot presa sempre desde seu carro de entrada o acabamento externo de seu carroe perfeito comparado com os da categoria.
    e questão de consumo, quem paga 80 e poucos mil num carro vai estar muito preocupado com consumo.
    acho que só isso..
    pura inveja, pois a Peugeot tem um carro imponente hj no mercado.

  25. Felix_S

    21 de abril de 2012 at 15:30

    Fica aqui um agradecimento ao pessoal do Carplace e do pessoal que acompanha este blog. Ontem fechei a compra de um THP e esta reportagem ajudou a tomar a minha decisão. Abraços a todos.

    • Debraido

      15 de maio de 2012 at 13:27

      Por favor, poste sobre o carro no dia-dia, estou quase fechando um e não conheço ninguem que o tenha.

      • Felix_S

        15 de maio de 2012 at 15:12

        Caro Debraido: meu carro já chegou nos 1.000 km e vi que comprei um carro muito bom pra minha família. Defeitos, o que todo mundo já sabe: suspensão traseira poderia ser menos firme e o pneu de perfil mais alto… mas isso não é novidade (o ronco do motor EM BAIXA poderia ser mais bonito…). Qualidades: muito espaço, gostei mais do acerto da direção da que do Jetta, motor MUITO elástico e relativamente econômico (com gasolina, obviamente, tem feito 8,5 no mesmo percurso que meu Focus 2.0 manual fazia 6 com álcool). Anda menos que um Jetta TSI, mas ainda assim está longe de ser lento e anda bem mais que os outros concorrentes. O câmbio é bom, tá de bom tamanho, apenas dá um leve tranco quando vc se aproxima de uma lombada no final de uma descida (não é um DSG, mas achei melhor que do Cruze). Se vc está em dúvida entre um Corolla Altis, um Cruze LTZ ou um Civic EXS, nesse aí o 408 THP dá um banho. O Fluence top também achei ótimo e os outros sedãs eu não andei. Mas acho que a dúvida da maioria é mesmo com o Jetta Turbo e aí meu amigo, a decisão é sua.

      • Felix_S

        15 de maio de 2012 at 18:54

        Caro Debraido, deixa eu complementar mais algumas coisas sobre o THP: a maioria das coisas são iguais ao Griffe normal, ou seja faróis excelentes, grande porta-malas mas com boca pequena por causa dos braços pantográficos, acabamento muito bonito (ao contrário do Jetta), posição de dirigir relativamente alta (mas acostuma-se fácil), interior arejado por causa das janelas amplas, vidro traseiro desce totalmente, tela retrátil do GPS prático e bacana, som de qualidade apenas razoável (mas do Jetta e do Cruze também não são grande coisa), aqueles saídas de escape falsos que poderiam não estar lá…. Mas o motor faz toda a diferença nesse carro e o 408 passa a ser um carro diferenciado perante os outros sedãs na faixa de 80 mil (disso não tenho a mínima dúvida) e óbviamente só o TSI consegue fazer frente, mas não tem xenon direcional, tem um túnel ridículo na parte de trás, o acabamento das portas é pobre, o teto-solar rouba um bocado de espaço pra cabeça de quem vai atrás… O carro apresentou um ruído na porta, mas a concessionária foi muito prestativa no atendimento e estou no aguardo de uma peça que dizem que sua troca vai resolver o barulho. Tá certo, poderia não existir esse defeito, mas NUNCA comprei um carro que não tivesse "grilo", só que as outras marcas sempre só tentavam resolver na base da "gambiarra". A concessionária tem test-drive do THP? Se não tiver, é só andar no Griffe normal e imaginar um câmbio melhor e um motor muito mais elástico, suave e que responde com prontidão. Ah, e as rodas ficaram lindas no 408.

        • Debraido

          16 de maio de 2012 at 13:43

          Obrigado, foi muito a sua explanação.

  26. Cristiano_RJ

    21 de abril de 2012 at 21:02

    Ué? Não vai ter a conclusão da avaliação? Já estamos no aguardo há 5 dias e nenhuma publicação!

    • Cristiano_RJ

      26 de abril de 2012 at 19:23

      Sinceramente, não sei o que se passa com essa demora em concluir a avaliação do Peugeot 408 THP, falta de tempo é que certamente não é, pois já se passaram 10 dias desde que esta matéria foi publicada e até agora nada! Para se ter uma idéia, a avaliação do Jetta Variant começou em 09/04 e foi concluída em 17/04; ou seja, levou apenas 8 dias. A do 408 THP começou em 02/04 e já dura 24 dias!!!!

      • Cristiano_RJ

        27 de abril de 2012 at 19:28

        25 dias…

        • Cristiano_RJ

          3 de maio de 2012 at 20:22

          Já são mais de 30 dias. Dava para fazer 4 avaliações do Jetta Variant!!!

          • Cristiano_RJ

            9 de maio de 2012 at 22:41

            É… desisto!

            Depois de 38 dias do início da avaliação do 408 THP e 24 dias desde a publicação desta matéria, a última da série, acho que CARPLACE desistiu mesmo de concluir a avaliação (inexplicavelmente); mesmo porque a avaliação do Sentra já se iniciou e está em sua terceira publicação.

            Uma pena, porque afasta CARPLACE do seu objetivo inicial de fazer uma série de avaliações de sedans médios para, ao final, fazer considerações acerca de todos eles. Ora, se não há o mínimo de padrão nas publicações (número de fotos, informações divulgadas, pontos avaliados, etc.) ou sequer conclusão das matérias, como querer que o resultado final seja de qualidade?

  27. José Oliveira

    26 de abril de 2012 at 23:53

    To achando que o carro deve ter dado entrada em alguma oficina , ou então preferiram fazer materias de outros carros e deixaram o THP de lado, posa ja sairam varias materias de avaliação de carros e o THP ficou esquecido…

  28. John

    30 de abril de 2012 at 20:25

    Carplace podia dar uma satisfação e informar qdo pretende publicar a avaliação final do carro. Acredito que tem muita gente aguardando…

    • Cristiano_RJ

      30 de abril de 2012 at 20:48

      Pois é…

  29. Hérlon

    15 de maio de 2012 at 22:51

    Carplace, e os dados sobre desempenho e as considerações finais, quando vai ser postado?

  30. Pedro

    16 de maio de 2012 at 14:35

    Não tem como não aplaudir a atitude da Peugeot em trazer essa opção de motor. O Downsizing já existe há anos na Europa e finalmente chegou ao Brasil. Belo carro, ótimo custo x benefício, motor eficiente, mas cade os comandos no volante ? Um carro de 80 mil reais, cobrado em média por 90 mil, tem que ter os benditos comandos no volante e não ficar escondido atrás do volante ! Parabéns pela matéria

  31. Leo

    29 de maio de 2012 at 19:13

    Fui fazer um teste drive hoje. Que carro. Confortável, bem acabado, potente e imponente. Nunca pensei em comprar um Peugeot, mas esse está revendo meus conceitos

  32. leandro

    31 de maio de 2012 at 14:51

    consegui essa versão 1.6 thp por 68000 á vista como pj, vale a pena??

    • Zak

      8 de junho de 2012 at 2:58

      Como vc conseguiu a esse preço?

  33. Dúvidas

    1 de junho de 2012 at 17:43

    Também consegui esta versão por R$68.800,00 com banco elétrico. Tenho a mesma dúvida, vale a pena? Consegui o Jetta comfortline com teto, couro, comandos e troca de marchas no volante e rodas 17, também na faixa de R$ 68.000,00. Outra opção é o Cruze sport6 LTZ por R$ 70.000,00. O que acham???

    • Zak

      8 de junho de 2012 at 2:58

      Como vc conseguiu a esse preço???

  34. robson

    5 de junho de 2012 at 21:24

    Acho otimo custoxbeneficio o valor de RS68000 nesse 408 THP. Tbem fiz o teste drive e gostei muito do carro. Vcs conhecem alguem que ja tem o carro? E o que eles estao achando do desempenho e consumo?

  35. Zak

    8 de junho de 2012 at 2:58

    Como vcss conseguiram essa versão a esse preço?

  36. lennyrawlley

    22 de julho de 2012 at 16:57

    comprei um a um mes e fui de brasilia a maceio. o carro e muito bom e faz 8,5 km/l andando entre 150 e 190 km/h com bagageiro cheio e com cinco pessoas. muito confortavel. exelente carro. recomendo.

  37. Raimundo machado

    31 de outubro de 2012 at 19:22

    fiz teste drive no Pegeot 408 thp, exelente carro; tem uma performance encrivel! interior bonito, materiais de boa qualidade, nao gostei da alavanca do freio de mão, q quando acionada ; encosta no console central . Ah, aquela vareta de sustentação do capô… não combina com um carro com preço perto de 80.000,00

  38. Paulo

    8 de dezembro de 2012 at 19:10

    "Na próxima matéria, confira os dados de desempenho e também as considerações finais."

    Oi. O que aconteceu com a última parte da matéria? Eu procurei no site e não achei.

  39. André

    26 de janeiro de 2013 at 12:51

    Comparações da vida real. Tive: Civic, Corolla, Vectra, Fusion , IX35, e agora tenho um 408 THP. O Fusion entra em uma categoria de sedãs de luxo, portanto não serve de parâmetro; a IX35 é uma “pseudo-SUV” que tbm não serve como parâmetro, mas registre-se nesta última, péssimo acabamento interno, motor fraco, habitáculo nada confortável e grande desvalorização. Depois desta “adocéia ” automobilística me sinto apto a fazer minhas considerações . Corolla Altis é um ótimo carro, mas obsoleto em equipamentos. Baixa depreciação , e consumo entre 6 e 13 KM/L . Civic EXS: bom carro, esportivo, motor forte, confortável de pouquíssima manutenção . Vectra: não merece ser mencionado. Tanto Toyota quanto Honda têm manutenção “caras”, às vezes demorada . É meu primeiro Peugeot, e não deixa nada a desejar para o Fusion , apesar de serem de categorias diferentes. No meu ponto de vista, quem chega a um patamar financeiro que permite comprar um bom sedã 0 KM nao estará tão preocupado com depreciação . Os valores são outros! Busca-se conforto, segurança , desempenho, design, e nesses quesitos posso garantir : 408 THP é o melhor! Sim, carro alemão e vinho francês , kkkkkkkkk, mas os melhores vinhos do mundo têm sido produzidos nos últimos 10 anos na Argentina, Chile e África do Sul, kkkkkkkk. Cuidado meus amigos. Preconceito pode privar vocês de excelentes experiências no que tange a carros , e porquê nao dizer a Vinhos, rsrsrsrsrsrs. Testei o Jetta TSI. Não me surpreendeu ! Tão empolgante quanto a minha Amarok Highline!!! Kkkkkk. Aprovo o THP sim. Sou um aficionado por carros, e leio tudo a respeito, apesar de ser Médico e não Engenheiro Mecânico. Testo antes de falar, falo com quem teve, tem e pode comparar antes de comprar. Nunca fico mais de 18 mêses com o mesmo carro, e sempre troco na concessionária . Nao me arrependo de ter vendido a IX35, diga-se de passagem, a maior decepção da minha vida. E a única q comprei sem pesquisar , ler sobre e tal. Bom; resumo da ópera: VALE O QUE CUSTA, NÃO É CARO, MELHOR E MUUUUUUITO QUE COROLLA E CIVIC, e para os que se preocupam com o valor de revenda, consumo, manutenção , seguro, IPVA e demais encargos, vai a dica: Grand Siena dualogic 1.6 16v. Acho que é mais o perfil de vcs. Vão adorar o carro. Tenho um e acho ótimo. Aos demais, podem optar pelo 408 THP sem medo. Grande carro ! Última consideração : nenhuma concessionária , nem da BMW (Leia-se Euroimport) é gentil ou rápida ou algo assim depois de ter conseguido o que queria. Vender o seu produto. Modéstia a parte. Estou dizendo com a categoria de proprietário, e não de mero leitor de Blog . A Carplace está de parabéns. Considerações coerentes, concisas, e nada tendenciosas. Lê quem quer; compra quem pode!

    Boa tarde a todos

  40. André

    26 de janeiro de 2013 at 13:03

    Só mais uma consideração : vcs realmente querem um motor BMW e câmbio Porsche a um valor menor que R$ 80.000,00?????? Me digam onde !!!!!!!! O que é bom custa caro meus amigos, mas vale o que custa.

  41. luizj

    15 de janeiro de 2014 at 13:47

    Realmente lindo.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>