CARPLACE

Bramo anuncia construção de fábrica para montar modelos da SsangYong, Changan e Haima no Brasil

A Bramo – Brasil Montadora de Veículos – anunciou oficialmente nesta segunda-feira junto ao governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, o protocolo de intenção de instalação de fábrica no município capixaba de Linhares. O projeto prevê investimentos iniciais de US$ 300 milhões para produção de veículos da SsangYong, Changan e Haima em solo nacional.

De acordo com o divulgado, a SsangYong terá feitas unidades do crossover Korando e da picape Korando Sports, enquanto a ChangAn fará os utilitários da família MiniStar. Já a Haima montará os modelos H2 e H3.

“Os US$ 300 milhões se destinam à produção inicial de 10 mil unidades/ano a partir de 2014, com geração de 1.100 empregos diretos e mais 3.500 indiretos, até alcançar 50 mil unidades anuais em cinco anos”, disse Abdul Ibraimo, presidente do grupo.

Por Dyogo Fagundes – Fonte: Divulgação

Publicidade
Publicidade

29 comentários

  1. LFJ

    5 de março de 2012 at 18:45

    SÓ NÃO ADQUIRI UM VEICULO DA SSANG YONG , PORQUE NÃO VEJO QUASE DESSES VEICULOS , ENTAO A REVENDA DEVE SER MUITO COMPLICADA E PEÇAS EM CASO DE PROBLEMAS .

    • Cristiano Tratores

      5 de março de 2012 at 20:24

      Aqui em Campo Grande esses carros da Ssangyong estão começando a vender bem, principalmente esse novo modelo. A concessionária é boa, pequena, mas estilosa, bem localizada e a motorização Mercedes-Benz só ajuda. Antes os carros eram comercializados na loja da MB, depois elas foram desmembradas.

      • canino_preto

        5 de março de 2012 at 23:24

        Esses novos continuam com motorização Mercedes-Bens?

      • maap

        6 de março de 2012 at 9:13

        meu padrasto comprou um desses a quase um ano e até agora só elogios!!! bem melhor que muitos nacionais que já tivemos

    • DSCS

      5 de março de 2012 at 20:31

      Minha esposa tem um Kyron e te digo que o carro é excelente, ele foi desenvolvido junto com a Mercedes, num acordo de coperação comercial, assim como ao Rexton é exatamente a versão antiga da Mercedes ML._O nosso está com 30 mil rodados, e não temos tido problemas com as revisões e o carro não quebrou nada até agora, mostrou-se excelente no asfalto e no fora de estrada.

      • LFJ

        6 de março de 2012 at 6:46

        Eu fui na concessionaria e gostei muito do action , era um branco , estava muito bonito e como pego estrada , a altura do carro me interessou muito . O problema é que aqui em Nova Friburgo onde moro , só vi até agora 2 carros da marca . obrigado pela resposta .

  2. Wellington_L

    5 de março de 2012 at 19:05

    [youtube SHafe07Gx5A http://www.youtube.com/watch?v=SHafe07Gx5A youtube]

  3. marcos

    5 de março de 2012 at 19:21

    a verdade é que quanto estiver vendendo os fabricados aqui, vão colocar preço antes do IPI 30 pontos, e vão dizer que os carros ficaram mais baratos, que na verdade serão os preços antes do IPI, e os brasiltarios vão acreditar.

  4. Jeff_Brown

    5 de março de 2012 at 19:22

    Importante salientar, que é um protocolo de intençoes.
    A proposta que foi apresentada ao governo requer flexibilização das metas de nacionalização.
    Iniciando com 15% no primeiro anos e atingindo os 65% exigidos pelo governo após 5 anos.
    O governo aceitando essa condição o investimento vem, caso contrário eles recuam.
    Mas seria ótimo o Konrado sendo montado aqui, tenho simpatia pelo danadinho.

    • renato duarte

      5 de março de 2012 at 20:10

      isso mesmo jeff_brown,, o governo tem que ser flexivel em contrapartida as montadoras tem que assumir os investimentos, ai sim sera produtivo a competiçao com conteudo nacional

  5. Jeff_Brown

    5 de março de 2012 at 19:25

    Um texto interessantíssimo do Carsale que mostra como as fábricas estão manobrando a exigência dos 65% de nacionalização. Parece piada, mas salário de executivos e gastos de publicidade entram na conta da nacionalização. Na prática com 20% de peças nacionais se alcança os tais 65% que o governo exige. http://carsale.uol.com.br/blog/blog.asp?blog_id=1

    • Brazuca

      6 de março de 2012 at 11:09

      E isso é ótimo, já que 65% do custo do carro ficam por aqui, fica mais fácil para montar os carros aqui sem exigência direta sobre as peças.

  6. V8_sempre

    5 de março de 2012 at 20:07

    Eu queria saber a resposta p essa pergunta d "alguém" q vi por aí (Se não me engano, da FIAT)… Como conseguem montar uma fábrica com US$ 300 milhões ???

    Se só no desenvolvimento do novo PALIO, a FIAT consumiu R$ 1 milhão… E no ONIX, a GM gastará R$ 2 milhões !!!

    • Jeff_Brown

      5 de março de 2012 at 20:25

      V8, vc diz um bilhão para desenvolver o Palio e 2 bi para o investimento da GM certo??

      Eu acho que nesse caso, não deve ser muito mesmo.
      Afinal, um modelo novo requer projeto do carro, desenvolvimento de maquinario para o modelo por parte da montadora e das fornecedoras de autopeças.

      No caso da Hyunday CAOA em Goiás, JAC aqui na BA, nada vai ser reprojetado. Ainda mais com somente 15% de autopeças nacionais.

    • Gustavo

      5 de março de 2012 at 21:25

      Porque a fabrica vai só montar os carros aqui, vai ser praticamente em CKD e só vai ter capacidade para 10mil carros inicialmente. Além disso o governo do estado deve doar o terreno fábrica e o BNDS deve oferecer o empréstimo a juros baixíssimos. E no final tem chance de o carro produzido aqui ser mais caro que o importado…

  7. Gustavo

    5 de março de 2012 at 21:30

    A fábrica vai ter capacidade inicial para 10mil carros, ou seja os preços vão continuar caros, pois se fossem baratear e colocar o Koranto a preços competitivos, a fabrica teria uma capacidade maior. Pena pois o carro é muito bonito, na verdade o único SsangYong com desenho legal. E ainda tem os carros da ChangAn e Haima. Mesmo com a capacidade máxima vai ser pequena…

    • D7V5

      6 de março de 2012 at 10:06

      Gustavo, você tem um ponto aqui.

  8. H_Joe

    5 de março de 2012 at 23:03

    Ora se for verdade farão sucesso, pois mesmo sendo importados os veículos da Ssangyong já tem um excelente custo benefício…

    • Wellington_L

      6 de março de 2012 at 0:38

      Nem tanto…

  9. bittcorp

    5 de março de 2012 at 23:53

    Agora só falta BMW anunciar o local e Great Wall, Tata/Jaguar/Land e Mercedes decidirem se querem participar do 3º maior mercado automotivo em 2016.

  10. MARCOS

    6 de março de 2012 at 7:41

    veeeeenha, as industrias tabajara agradecium.

  11. D7V5

    6 de março de 2012 at 10:32

    São os chineses que compraram a SSan Young.
    O Korando é simpático. Sua revenda é uma incógnita. Os chineses utilizando o Korando, é uma ironia (ex coreano, Korando quer dizer: (Ko) Korea (ando) can do). Deveria ser chamado de Chiando (China can do) ehehehehe

    • Julinho Freitas

      6 de março de 2012 at 11:59

      Amigo, a SSangyong foi comprada pela Mahindra, empresa indiana inclusive com fabrica no Brasil em Manaus. Mas a fabricação referida no post sera feita pelo grupo portugues Tricos Districar, que jão são distribuidores da marca no Brasil.

      • D7V5

        6 de março de 2012 at 12:21

        Ok, obrigado pela oportuna correção.
        Também mudo a sugestão do nome para Indiando (India can do). eheheheeh

  12. Lucas Veigas

    6 de março de 2012 at 17:38

    Vi o anúncio em jornal exclusivamente para a concessionária deles aqui em Porto Alegre, a respeito da Konrado. Na época um bom preço. Fui a concessionária e fui muito mal atendido. O vendedor arrogante não confirmou o preço do jornal. Resultado: comprei uma ASX. E outra, se tivesse comprado a Korando, ia ficar com ela, no máximo uns 4 anos e iria ganhar muito pouco valor na troca.

  13. Luiz

    6 de março de 2012 at 19:15

    Tem gente que pensa que a Ssangyong é chinesa, ( eita nome difícil ) mas ela é Coreana, assim sendo, caso vá pra frente vão cobram cada vez mais caro como a Ruindai e a que Kiá. Se for na cor branca também terá de pagar 5 Dilmas a mais como faz a Ruindai com o Vichi35???…

  14. Acacor

    8 de março de 2012 at 11:01

    Com relação ao Haima 2 há dois motores em 2011. O 1.3 16v duplo comando (DOHC), sem comando variável (o modelo 2010 possuía MIVEC). E o 1.5 16v, MIVEC (tecnologia Mitsubishi com duplo comando variável na admissão e escape – ângulo, duração e momento de abertura). Alé disso, o modelo 1.5 2011 vem de série com cambio de dupla embreagem (isso mesmo) da fabricante multinacional, fornecedora de quase todas grandes montadoras, a GETRAG, modelo 452 6ASG.
    Por outro lado, o Haima 3, além de ter um VVT, oferece na versão automática o CVT de última geração da Alemã ZF transmissões.
    Portanto, parece que o consumidor chinês de carro compacto está muito bem servido de mecânica com este pequeno Haima.

  15. wilson

    15 de abril de 2012 at 22:00

    ta bom da ssangyong produzir carros menores para concorrer com a volks,fiat,ford e chevrolet

  16. JOÃO

    1 de abril de 2014 at 19:52

    POSSUO UM KYRON QUE VAI AGORA PARA A REVISÃO DE 40.000km. MELHOR CARRO QUE JÁ TIVE, E OLHA QUE TIVE L200, COROLLA, S-10 CABINE DUPLA E OUTROS.. EXCELENTE AUTOMÓVEL!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>