Avaliação – Peugeot RCZ 1.6 16V THP 2012

Peugeot RCZ

O Peugeot RCZ tem méritos que poucos carros têm. Por ser um cupê esportivo, o modelo faz parte de um segmento restrito para poucas marcas, mas a Peugeot sempre foi ousada e com o RCZ criou um rival para o Audi TT, porém, com uma diferença significativa, o preço. Confira a avaliação do Peugeot RCZ 1.6 16V THP 2012.

Peugeot RCZ

Falando um pouco do preço, para se ter uma ideia, o Audi TT de entrada no Brasil custa R$ 196 mil, enquanto que o RCZ sai a R$ 139.900. Mesmo que o modelo da Audi tenha um motor mais potente (200 cv), o esportivo francês não faz feio.

Peugeot RCZ

Lançado no Brasil em outubro de 2011, os emplacamentos do modelo passaram a ser feitos em janeiro deste ano, com um total de 79 unidades comercializadas até esse mês. O Peugeot RCZ chama a atenção por onde passa, principalmente pelo seu desenho com linhas fluidas. O modelo é construído sobre a Plataforma 2 da PSA, a mesma utilizada nos já conhecidos 3008 e 308.

Peugeot RCZ

As linhas do Peugeot RCZ são muito atraentes e desviam olhares por onde passa. Difícil é ficar sem olhar para o belo cupê. O destaque de suas linhas são os para-lamas volumosos que engolem as rodas de 18 polegadas com desenho exclusivo. Não fica de fora dos olhares o vidro traseiro curvo em formato de bolha dupla, que deve custar um bom dinheiro, se for necessário ser substituido. Na parte dianteira, nada de inédito, o esportivo traz a conhecida grade “bocão” com o emblema do Leão em destaque no centro do capô. Os enormes faróis que invadem as laterais seguem o DNA da marca. Outro detalhe fica por conta das portas, que são pesadas, não possuem esquadro superior, deixando o modelo sem coluna central, típico dos cupês.

Ainda por fora, destacam-se ainda os arcos superiores cromados que envolvem as laterais e o teto de vidro. A parte traseira é comprida e acomoda as lanternas de LEDs na cor vermelha, com formato de bumerangue e um aerofólio escamoteável. As linhas ousadas são finalizadas com o discreto pára-choque traseiro.

Peugeot RCZ

Por dentro o espaço é suficiente para dois adultos na frente, atrás cabem no máximo duas crianças pequenas, por isso é um cupê 2+2. Fora esse detalhe, o RCZ esbanja qualidade em seu interior. Está tudo em seu devido lugar. Com um painel semelhante ao do 308, a esportividade fica de lado dando lugar ao luxo. O volante, o mesmo do 308, ficou grande e com empunhadura ruim para essa proposta de carro esportivo, sendo que seria mais interessante um com desenho exclusivo. Ao observar com mais atenção a parte interna, a diferença entre os dois modelos fica por conta do novo grafismo do painel de instrumentos, da aplicação de alumínio no console central, nas pedaleiras polidas e do acabamento das portas. De resto, a maioria dos comandos são encontrados no restante da família Peugeot, como a tela de iluminação vermelha, que mostra informações do som e do computador de bordo. O único problema fica pelo fato do carro ser muito baixo e ter que fazer um certo malabarismo para entrar. A posição de dirigir dá a entender que estamos em um modelo esportivo, pois as pernas ficam retas e o corpo fica rente ao chão.

Peugeot RCZ interno

No Brasil, o RCZ é vendido em versão única e bem completo, com itens de série que incluem ar-condicionado digital dual zone, vidros e travas elétricas, airbags frontais e lateriais, direção com assistência eletro-hidráulica, freios ABS com EBD além dos controles de tração e estabilidade. Além destes “básicos”, o modelo também dispõe de mimos como bancos elétricos e com aquecimento (incluindo o do motorista, com memórias), faróis com acionamento automático, faróis de xenônio direcionais, limpadores de parabrisa e sensor de baixa pressão dos pneus. O seu porta-malas carrega entre 321 e 639 litros, nada mal para um cupê esportivo.

Peugeot RCZ

Sob o capô, o felino oferece um conjunto motor e câmbio já conhecido do brasileiro (é o mesmo do crossover 3008): o moderno 1.6 16V turbo THP que gera suficientes 165 cv (ante 156 do 3008) a 6 mil rpm. Produzido em parceria com BMW, este motor trabalha em conjunto com o câmbio automático de seis marchas Tiptronic, com conversor de torque, com opção de trocas sequenciais na alavanca (seria melhor atrás do volante). O motor é bem honesto para o carro, mas se tivesse uns 20 cv a mais seria de bom tamanho e daria mais emoção da hora de dirigir. O câmbio dá uns trancos nas retomadas, mas nada que atrapalhe as mudanças, mas o resultado do conjunto é bem agradável. As acelerações foram lineares, mas as ultrapassagens na estrada exigiram um pouco mais de força no pedal do acelerador, passando a impressão de uma certa falta de fôlego.

RCZ

Em um teste feito na serra que liga o Rio a Itaipava, o cupê da Peugeot se saiu muito bem. O conjunto da suspensão é esportiva, com molas e amortecedores duros, o que agrada nas curvas, mesmo que mais fechadas, o RCZ parecia andar sobre trilhos o tempo todo. Sem alarde algum, um aerofólio escamoteável levanta quando o carro chega a 85km/h, podendo ficar mais aberto até os 155km/h, tudo para manter o cupê no chão. Os pneus de perfil baixo também contribuem para essa ótima performance na estrada, porém, deixa a desejar nas ruas esburacadas da cidade, transmitindo todas as irregularidades para dentro do habitáculo.

Em resumo, o Peugeot RCZ entrega talvez o mesmo impacto visual de um Audi TT por um preço bem mais acessível. O desempenho “esportivo” pode ser considerado honesto e suficiente como mostra, por exemplo, a aceleração de 0 a 100 km/h feita em apenas 8,4 segundos.

Preço: R$ 139.900

FICHA TÉCNICA:

Motor: Gasolina, dianteiro, transversal, 1.598 cm³, alimentado por turbina de hélice dupla, quatro cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro. Comando duplo de válvulas no cabeçote com sistema de variação de abertura na admissão e escape. Injeção direta de combustível e acelerador eletrônico.
Transmissão: Câmbio automático com modo manual sequencial de seis marchas à frente e uma a ré. Tração dianteira. Oferece controle de tração.
Potência máxima: 165 cv a 6 mil rpm.
Aceleração de 0 a 100 km/h: 8,4 segundos.
Velocidade máxima: 213 km/h.
Torque máximo: 24,5 kgfm a 1.400 rpm.
Diâmetro e curso: 77,0 mm x 85,8 mm. Taxa de compressão: 11,0:1.
Suspensão: Dianteira McPherson com rodas independentes, barra estabilizadora, molas helicoidais e amortecedores hidráulicos pressurizados. Traseira com rodas independentes, travessa deformável e amortecedores hidráulicos pressurizados. Oferece controle de estabilidade.
Pneus: 235/45 R18.
Freios: Discos ventilados na frente e sólidos atrás. Oferece ABS.
Carroceria: Cupê em monobloco com duas portas e quatro lugares. Com 4,28 metros de comprimento, 1,84 m de largura, 1,35 m de altura e 2,61 m de distância entre-eixos. Oferece airbags frontais e laterais.
Peso: 1.363 kg.
Capacidade do porta-malas: 321 litros.
Tanque de combustível: 55 litros.
Produção: Sochaux, França.
Lançamento: 2010.
Lançamento no Brasil: 2011.
Itens de série: Airbags frontais e laterais, aerofólio móvel, controle de estabilidade, faróis de xenon, ABS com auxílio a frenagem de emergência e repartidor eletrônico de frenagem, sensor de luminosidade, ar-condicionado dual zone, bancos de couro com aquecimento, coluna de direção com regulagem de altura e profundidade, direção assistida, cruise control, trio elétrico, retrovisores eletricamente rebatíveis, rádio/CD/MP3/USB/AUX/Bluetooth e rodas de liga leve de 18 polegadas.

Galeria de Fotos: Peugeot RCZ 2012

Texto e Fotos: Marcus Lauria

Publicidade

53 Comments

  1. alemaesrules

    27 de maio de 2012 at 14:14

    Design externo maravilhoso, pena q o interior e a motorização deixem a desejar

    • Guilherme

      27 de maio de 2012 at 15:28

      Q isso, o interior dele é excelente ! mto bem acabado. Até msm para os padroes europeus. Só ver o review do rcz no carbuyer com o Matt Watson.

      • Hérlon

        27 de maio de 2012 at 17:24

        Tanto o acabamento interno e a matorização não deixam a desejar na minha opnião!

        • Guilherme

          27 de maio de 2012 at 18:12

          Pelo visto vc está olhando mais para a marca do carro doq para o acabamento interno em si.
          [youtube FJpAFKGYVDs&feature=g-user-a&list=PLEDC8F50A69D1D19E http://www.youtube.com/watch?v=FJpAFKGYVDs&feature=g-user-a&list=PLEDC8F50A69D1D19E youtube]

          • BullittKowalski

            27 de maio de 2012 at 19:54

            Mazda MX5 é o melhor coupé que existe, desde que a Honda deixou de fabricar o S2000. Acessível, bonito e rápido.

            E com uma dirigibilidade ótima, conforme diz o vídeo aí.

    • marciors01

      27 de maio de 2012 at 22:16

      O interior é excelente, ao vivo é lindo, todo painel é forrado em couro, a sensação no interior deste carro é muito agradável.

  2. Guilherme

    27 de maio de 2012 at 14:30

    O acabamento interno desse carro é mto bom. Comprei um 408 THP e nao me arrependo. Belissimo motor.

    • Cristiano_RJ

      27 de maio de 2012 at 20:51

      Aí Guilherme, fala pra gente quais são suas primeiras impressões do 408 THP!

      • Guilherme

        28 de maio de 2012 at 19:11

        mais um adendo: o 408 tem 8 airbags. Isso pra mim tambem foi outro fator decisivo na compra.

      • Gui_BR

        28 de maio de 2012 at 19:14

        (Criei uma conta no intensedebate pra facilitar os posts)
        Bom fiz o test-drive do Fluence privilege e o 408 thp. Achei os 2 bem silenciosos e super confortaveis. Mas o espaço interno do 408 é excelente. Tenho 1,85 de altura e consegui ficar super confortavel atras, coisa que no Fluence nao ocorreu (eu ficava batendo a kbeca toda hora no teto do carro qnd estava sentado atras). Acabamento do 408 thp é show, plastico emborrachado pelo painel todo, inclusive nas portas. O cambio CVT do Fluence é mais confotavel, mas o automatico de 6 marchas nao faz feio. Uma coisa que me agradou mto foi a tela retratil com GPS e informacoes do carro. Os sensores dianteiros fazem a diferença pq a frente dele não é mto boa de ver. Por enquanto nao levei ele na estrada mas estou louco de vontade! Em relação ao Fluence só senti falta do Keyless, que parece que é luxo mas no dia-a-dia deve fazer diferença. O motor é um espetaculo, gostei do motor do Fluence mas o do 408 faz o 2.0 parecer 1.4… Agora vamos ver se o pós-venda da peugeot vai ser td isso que as pessoas falam.

    • afonso200

      27 de maio de 2012 at 22:52

      deve ser bom, 6 marchas automatic, baita carro ante o 408 normal 4 marchas

  3. RODRI

    27 de maio de 2012 at 14:31

    da pra quebrar um galho!!!

    • BullittKowalski

      27 de maio de 2012 at 19:53

      140 paus pra um Peugeot coupê?

      Não, obrigado.

      • NitroBR

        27 de maio de 2012 at 22:28

        a traseira eh muito top agora falando da frente e do interior…. ¬¬ ambos sao podres kkkkk
        e nego ainda paga 140 mil melhor dar um jeito de pegar um TT logo por 196 q pelo menos ta levando ao 100% descente e TOP

        • CeloSurf_

          28 de maio de 2012 at 2:30

          o tt foi pra 220, mas eu concordo eles tinham que melhorar esta frente e o painel de 308, até o do 3008 é melhor, tbl cairia bem um 200cv com ronco de esportivo de verdade no lugar deste com som do escap de carro mil.

      • afonso200

        27 de maio de 2012 at 22:51

        nesse valor, uahuasuahs fico com um camaro V6 semi novo, ou até um mustang V6, troca o simbolo lá atras de LT para SS e tods acham que é o SS. no mustang troca o simbol V6 por um GT e todos cham que é V8, auhsuahsasuhausahs

      • andre smpaio

        28 de maio de 2012 at 12:38

        Falou tudo sou mais um WRX STI!

      • Carlos Henrique

        26 de dezembro de 2012 at 10:50

        Como se vc tivesse 140 paus… huahuahuahuahua vai comprar punto T-jet que é mais sua cara… huahuahuahua

  4. Guilherme

    27 de maio de 2012 at 14:32

    E uma correção o volante é o do 408 thp e nao do 308 como afirma na reportagem

  5. ViniSnipper

    27 de maio de 2012 at 14:52

    Talvez apareça alguem dizendo que o carro deveria custar R$ 60.000,00, que ele venderia mais, bla bla bla, Gostaria apenas de comentar que respeito este lançamento, pois o mesmo produto oferecido a nós é vendido na Europa. Oferecer produtos defasados em função de preço e taxa de financiamento merecem o nosso repúdio, não importa de que montadora venha; Somos brasileiros e não América Latrina. Queremos Respeito.

  6. Lord_Hds

    27 de maio de 2012 at 15:28

    Belo cupê, bem melhor que aquela aberração do Lentoster!

  7. cado

    27 de maio de 2012 at 17:51

    "O único problema fica pelo fato do carro ser muito baixo e ter que fazer um certo malabarismo para entrar."

    Carplace, isto não é um problema e todo carro voltado para o lado esportivo é assim. Mesma coisa dizer que um SUV grande tem o "problema" de ser muito alto e fazer malabarismo para subir.

  8. André Barbosa

    27 de maio de 2012 at 18:17

    Entra num cupÊ sem motor ?
    vou de Cadenza V6 290 cv

    • cado

      27 de maio de 2012 at 19:26

      haha ó a comparação né. Noção zero de carro.

    • afonso200

      27 de maio de 2012 at 22:53

      claro por 140mil $$$$$$$$ compra um camaro ou mustang V6 seminovo e sai mais feliz

  9. YoOdEx

    27 de maio de 2012 at 18:22

    Não concordo que chama atenção como um TT. Acho que o TT é outro nível, a ponto de um amigo cutucar o outro e falar (Olha um Audi TT ali). Esse carro possui uma frente muito comum. Já vi pessoalmente, achei bonito, mas nada de espetacular, ao contrário do TT que realmente parece ser um caro de alto nível.

    O preço cobrado é um absurdo nessa carro. Não entraria na minha garagem mesmo que se eu tivesse muito dinheiro.

    • zeuslinux

      27 de maio de 2012 at 19:08

      Quem tem 140 mil para gastar num carro com motor agressivo pode dar mais um pouco e comprar um Audi ou então comprar um Jetta TSI e ainda sobrar troco.

      E quem quer um carro com visual agressivo mas não se importa muito com desempenho, pode comprar um Veloster.

      • cado

        27 de maio de 2012 at 19:28

        Essa história de que quem tem tanto "pode dar mais um pouco" é a maior balela. Ou tu tem tanto ou não tem. Tire o exemplo você mesmo, quando for comprar o carro pense "posso dar mais um pouco" e assim vai indo.. veja onde pode parar.

        • saosao

          27 de maio de 2012 at 19:37

          Fato. Mas carro no Brasil custa tanto que é necessário ter uma bela renda para poder entrar num negócio de um carro de mais de 100k. E se a pessoa tem boa renda, pode se "enforcar" um pouco mais…

          Mas concordo que é balela.

      • marciors01

        27 de maio de 2012 at 22:20

        O salto entre 140k e 200k de um audi TT é enorme, não é bem assim, quem tem 140k não necssáriamente tem 200k.
        Outra, quem compra jetta tem um carro que anda muito em linha reta mas não se compara ao que pode fazer o rcz que tem comportamento de esportivo.
        Além disso o motor é 1.6 mas o desempenho é bom, paga-se 60k a mais no audi para melhorar o desempenho em 1s.
        Não existe outro esportivo no mercado que custa menos, partindo deste ponto o carro não é caro, e sempre devemos considerar que temos este ipi de 30% nos importados, sem este imposto extra o carro custaria bem menos.

        • gegorges

          28 de maio de 2012 at 11:23

          Mas se vc tivesse 200k para gastar, vc ia economizar 60 e comprar um rzc??? A questão é muito mais do que 1s, poderiam ter até o mesmo desempenho que o audi estaria bem na frente, mesmo o modelo atual tendo um certa idade já. Vamos esquecer valores, acho que o TT custar 40% a mais que o rcz é uma questão lógica.
          Em relação a não ter outro esportivo nessa faixa acho que o Subaru WRX é um exemplo, em minha opinião é mais esportivo que um rcz em todos os aspectos e custa aproximadamente o mesmo preço.abs.

          • marciors01

            28 de maio de 2012 at 11:37

            É lógica apenas considerando o preconceito que existe contra carros franceses no pais, na Europa a diferença de preço entre estes carros é menor.
            Aqui assim como fazemos com honda e toyota, sempre achamos que determinadas marcas valem muito mais do que outras mesmo quando lá fora isso não existe.
            Queres o mesmo desempenho, simples, faz uma reprogramação neste rcz, este motor tem margem para suportar 200cv, lá fora ele é vendido com esta potância, gastas um troco e o desempenho f icará equivalente ao do audi.

          • gegorges

            28 de maio de 2012 at 11:44

            Não foi exatamente esta a questão que levantei, mas entendo o seu ponto de vista. Abraços.

  10. Filipe_GTS

    27 de maio de 2012 at 18:30

    Parabéns pelas fotos. Esse carro é lindo, só falta opção de câmbio manual. Ah, esse "radinho" também é um horror…

  11. Fulano

    27 de maio de 2012 at 18:51

    LINDO LINDO
    Falou e disse Lord_Hds!!!

  12. contra bomba atomica

    27 de maio de 2012 at 19:28

    esse carro e muito pequeno

  13. Will

    27 de maio de 2012 at 19:30

    ja vi na rua e parece um peugeot 207 de longe!

    • marciors01

      27 de maio de 2012 at 22:21

      Precisas de óculos, é impossivel confundir os dois carros.

  14. jonathan

    27 de maio de 2012 at 19:31

    esse carro lembra aquele mico do 307cc ou do 206cc(eleito o carro mais gay do mundo)

  15. Matheus_P

    27 de maio de 2012 at 19:36

    gostei do carro. defeitos que nao poderiam ter: falta de led diurno, teto do cristal ou solar, controles no volante…

  16. joao

    27 de maio de 2012 at 21:22

    Caro, muito caro…manda pra cá e coloca do lado do meu S60 T5, além do mesmo preço, não chama a mesma atenção nem é mais imponente.

    • pedro37

      28 de maio de 2012 at 12:29

      coloca numa serra o teu T5 com um RCZ e vc vai dar graças a Deus ter 300 airbags.

      • joao

        28 de maio de 2012 at 21:41

        Realmente não entendi…vc já dirigiu um S60? de onde tirou que ele não tem estabilidade? como nunca dirigir um RCZ, falei de outros atributos, como vc nunca dirigiu nenhum dos dois não pode falar isso.

  17. Felix_S

    27 de maio de 2012 at 21:31

    Apesar de ser praticamente igual ao 308/408, o painel tem um grande diferencial: o acabamento em couro. O carro deve custar caro só por ser de nicho, mas é um carro que não se compra com a razão. Mas se for pra pagar pela exclusividade, deveriam ter trazido a versão de 200 cv

  18. marciors01

    27 de maio de 2012 at 22:23

    O salto entre 140k e 200k de um audi TT é enorme, não é bem assim, quem tem 140k não tem necessáriamente 200k.
    Outra, quem compra jetta tem um carro que anda muito em linha reta mas não se compara ao que pode fazer o rcz que tem comportamento de esportivo, a condução é completamente diferente.
    Além disso o motor é 1.6 mas o desempenho é bom, paga-se 60k a mais no audi para melhorar o desempenho em 1s no 0 a 100.
    Não existe outro esportivo no mercado que custa menos, partindo deste ponto o carro não é caro, e sempre devemos considerar que temos este ipi de 30% nos importados, sem este imposto extra o carro custaria bem menos.
    Sobre o interior, o design básico do painel lembra o do 408 que já é um painel bonito, todo dizem que parece de um carro bem mais caro e eu concordo, agora o interior do rcz com painel todo forrado em couro é lindo, só entrando no carro para ver, se tivesse dinheiro teria um.

  19. marciors01

    27 de maio de 2012 at 23:54

    Mais um detalhe, este motor tem capacidade de fornecer mais potência, em outros carros tem pouco mais de 200cv, não seria nenhum problema uma reprogramação para tirar estes cavalinhos a mais, estaria dentro da margem de segurança do motor e o desempenho ficaria excelente.

  20. PTenvolvidoComFARC

    28 de maio de 2012 at 1:00

    Quem puder comprar esse carro à vista, faça os vendedores das lojas participarem do seu leilão de melhores ofertas. Compensa!

  21. Wellington_L

    28 de maio de 2012 at 7:42

    Bem…, para um veículo que é tão exclusivo ($) por aqui – na Europa a história é outra –, este comete alguns pecados: como ter sua parte frontal praticamente idêntica à do popular modelo Peugeot 308 (antes de sua reestilização…, é claro), por exemplo.

    Particularmente falando, o design "plástico vagabundo que entortou sob o sol" do teto de vidro não me agrada – sem falar que ele é curto e deixa a traseira alongada e reta demais, passando a impressão que vemos a parte posterior de uma lancha e não a de um automóvel.

    Para finalizar, digo que o conjunto mecânico desse automóvel é realmente muito bom e, como bem disse o Sr. Lauria, vinte cavalos-vapor de sobreforça tornariam o seu desempenho um pouco mais próximo à transmissão de sua agressiva proposta visual.

    P.S.: Nossos vizinhos argentinos possuem a variante que entrega esse propulsor Prince THP em sua versão de 200 cv acoplado a câmbio de acionamento manual.

  22. Roberto P.

    28 de maio de 2012 at 10:00

    tenho um e é maravilhoso!

  23. gegorges

    28 de maio de 2012 at 11:29

    Se fosse um Chines iriam processar por plágio. hehehe. Abs

  24. pedro37

    28 de maio de 2012 at 12:24

    O carro é show! Interior muito bonito, todo em couro. Motor suficiente, mas nada absurdo. Vi ao vivo
    e achei o carro lindo. Nao é um TT mas custa 70 mil a menos. 70 mil!!! nao é 20 ou 30.
    A maioria dos que criticam devem andar de carro 1.0 ou 1.4 com seus projetos de 10 anos atras…
    140 mil nao é barato, mas no Braziu!, é condizente com o que temos (ou nao temos).
    E vem neguinho comparar com Cadenza….

  25. Astolfo

    6 de junho de 2012 at 21:21

    Quer um esportivo zero por esse preço vai de Lancer Ralliart de 240 cv. Isso sim é carro.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>