Avaliação: Peugeot 207 SW 1.4l Flex

Avaliação Peugeot 207 SW

Com desenho atraente, o Peugeot 207 SW 1.4l flex é prático e apresenta consumo relativamente bom. Típico carro urbano, conquistou o público feminino, e se mostrou uma boa escolha para quem precisa de um veículo ágil e com boa capacidade de carga. Confira a avaliação. 

Por: Alexandre Akashi

Apesar de na França a Peugeot contar com uma série de veículos com carroceria Station Wagon (SW), aqui no Brasil a oferta é limitada apenas ao modelo popular da marca, o Peugeot 207. É certo que até bem pouco tempo atrás oferecia o 307 SW, mas isso ficou no passado. Pode ser que ele volte reestilizado como 308 SW, mas até agora, não há informações a respeito.

Traseira do Peugeot 207 SW

O 207 SW é versátil apesar de ser compacto. A Peugeot disponibiliza o modelo em duas opções de motor, 1.4l e 1.6l, ambos flex, sendo os 1.4l com câmbio mecânico de cinco velocidades e a 1.6l com transmissão automática de quatro, além de uma versão aventureira, o 207 SW Escapade 1.6l, que tem pneus de uso misto e suspensão um pouco mais elevada.

Para esta avaliação, a Peugeot cedeu o modelo de entrada, com motor 1.4l e câmbio manual de cinco velocidades. O preço parte de R$ 34.424 (versão XR, com ar-condicionado, direção hidráulica, vidros dianteiros elétricos e travas elétricas, desembaçador do vidro traseiro, tela multifunções no painel central, na cor branca).

Dianteira do Peugeot 207 SW

A versão avaliada era a XRS (a partir de R$ 38.705, na cor branca), que tem ainda computador de bordo, faróis com acendimento automático, rodas de liga leve de 14 polegadas, sensor de chuva para acionamento e ajuste do limpador de pára-brisa, vidros elétricos dianteiros com comando seqüencial no lado do motorista e vidros elétricos traseiros.

Ao todo são oito opções de cores além da branca (Cinza Aluminium, Cinza Manitoba, Cinza Cendre, Cinza Grafito, Cinza Dolomites, Azul Bourrasque, Vermelho Luc e Preto Perla Nera), todas por mais R$ 600. Como opcional, aceita air bags duplos, por mais R$ 1.500.

A versão XS Automático (R$ 45.220, na cor branca), além do motor 1.6l de 113 cv/110 cv de potência a 5.600 rpm (etanol/gasolina) e torque máximo de 15,5 kgfm/ 14,2 kgfm a 4.000 rpm (etanol/gasolina), vem com freios ABS, ar-condicionado com controle automático de temperatura, Bluetooth “viva voz para celular acoplado ao som”, comando do rádio na coluna de direção, airbag duplo frontal , entrada USB para som, rádio CD Player com função MP3 e rodas de liga leve de 15 polegadas.

Vida a bordo

A versão XR S do Peugeot 207 SW é simpática, mas não vale os R$ 4 mil de diferença da versão básica pelo que oferece de equipamentos adicionais. Computador de bordo é legal, assim como faróis com acendimento automático, rodas de liga leve, sensor de chuva e vidros traseiros elétricos, mas poderiam custar menos.

Bancos do Peugeot 207 SW

Os bancos são confortáveis, mas se fossem um pouco mais longos apoiariam melhor as pernas. Difícil é se acostumar com o sistema de acionamento dos vidros elétricos, com botões localizados no console central, próximo à alavanca de freio de mão (tanto os dianteiros quanto os traseiros). Mas, quem tem, está acostumado e não reclama.

Peugeot 207 SW

Faltou dispositivo de ajuste de profundidade do volante, uma falha de projeto dos 207, mas há ajuste de altura do banco, o que ameniza um pouco e possibilita encontrar uma posição agradável de dirigir. Os comandos estão à mão, e se não fossem os botões do vidro elétrico no console entre os bancos, estaria tudo certo.

Apesar de tudo isso, em geral o 207 SW agrada, apesar do forte apelo feminino que o modelo tem. Não é à toa que vemos muitas mulheres dirigindo um. É um carro simples de operar, prático e com boa visibilidade, uma vez que é possível se posicionar a uma altura razoável, graças ao ajuste de altura do banco.

Particularmente não sou muito fã de dirigir sentado, mas dizem os especialistas que no trânsito, é a melhor forma, tanto ergometricamente quanto para a segurança, pois além de se fazer menos esforço para entrar e sair do veículo, é possível ter uma visão panorâmica melhor da rua e outros veículos e pedestres.

Há apenas uma ressalva na questão da visibilidade: a vigia traseira em forma de trapézio chega a incomodar um pouco, pois visualizamos as duas colunas laterais do carro ao olhar pelo retrovisor interno. Culpa do design, que as mulheres entendem melhor do os homens (beleza x funcionalidade).

O porta-malas, apesar de ser um veículo compacto, é generoso, como todo SW que se preze. O espaço para carga leva até 313 litros (ante 245 litros do 207 hatch), que pode ser ampliado para 1.136 litros ao rebater os bancos.

Consumo

Painel do Peugeot 207 SW

Na avaliação, o 207 SW com motor 1.4 litro se mostrou bastante econômico. Durante os 10 dias que ficamos com o carro, rodamos 264 km em trechos urbanos, com trânsito moderado a leve, e em raros momentos pesado, o que imprimiu no período velocidade média de 25 km/h. Nestas condições, o consumo médio marcado foi de 9,6 km/l, abastecido 100% com etanol. Isso significa que um tanque (50 l), nestas condições, dura até 15 dias, um custo bem razoável.

Outra boa surpresa do modelo foi a desenvoltura do conjunto motor-câmbio, que apesar de oferecer somente 82 cv/80 cv a 5.250 rpm (etanol/gasolina) e torque máximo de 12,85 mkgf a 3.250 rpm, obtido com qualquer um dos combustíveis, mostrou ser suficiente para arrancar com agilidade os 1.148 kg do modelo. Claro que nestas condições o consumo se eleva drasticamente, mas nada como ter agilidade no trânsito.

Fotos do Peugeot 207 SW

Publicidade

49 Comments

  1. ADILSON

    15 de junho de 2012 at 9:15

    Queria saber porque fabricam este carro ainda,feio ,ruim de mercado…

    • Cristiano

      15 de junho de 2012 at 15:19

      Voltou a vender mais.

      • Felisbinobr

        15 de junho de 2012 at 15:24

        Não voltou não. Esse carro mal e mal chegou a 1.000 unidades vendidas em 2012. Isso é menos do que uma Weekend, Spacefox ou Grand Tour vendem em apenas um mês.

  2. Jeff_Brown

    15 de junho de 2012 at 9:43

    Nossa, o texto passa impressão até de ser um publieditorial, forçando a barra para que o público feminino 'redescubra' o modelo. Exagerado o feminismo no texto.
    Outro ponto, o autor disse que não gosta de dirigir sentado?? Raios, como ele dirige??
    Ele se referia a dirigir formando ângulo próximo a 90º ou deitado, ou em pé??

    • SP2

      15 de junho de 2012 at 10:48

      Talvez ele goste de dirigir patinete. kkkk

    • H_Joe

      15 de junho de 2012 at 11:28

      Acho que ele gosta de guiar meio deitado, igual os funkeiros… hahahaha

    • Krestu

      15 de junho de 2012 at 18:40

      Tem carros que tem uma posição de dirigir mais baixa, com as pernas mais esticadas e não flexionadas, como nos esportivos, acredito que seja isso o que ele se refere…

      • Jeff_Brown

        15 de junho de 2012 at 18:44

        Mas continua sendo 'sentado'. Para um comunicador e suponho que jornalista do segmento, acho que foi um 'fail'.

  3. Louis

    15 de junho de 2012 at 9:45

    TEnho uma e gosto muito desse carro, dirigibilidade excelente. E tem mimos que outros populares não têm.

  4. rodrigorsr

    15 de junho de 2012 at 9:56

    taí um carro esquecido, que merecia vendas bem melhores do que as que tem hoje…

    • Cristiano

      15 de junho de 2012 at 15:18

      Eu odiava esse carro, mas após ver o Novo Uno, passei a ter simpatia por ele.

  5. Felisbinobr

    15 de junho de 2012 at 9:57

    Concordo que o texto passa a impressão de ser 'publieditorial', alguns argumentos pareceram bastante forçados. Também não entendi porque o Carplace resolveu fazer uma matéria de um carro que está prestes a sair de linha – geralmente fazem matérias sobre lançamentos, é muito raro ler algo sobre um carro que está saindo do mercado. Se o modelo tivesse recebido alguma grande novidade, até compreenderia. Todavia, continua o mesmo, todo mundo já o conhece, não compreendo porque dar espaço a um modelo que está saindo do mercado. De toda forma, é um carro que não pegou. Tem pouco espaço para uma SW (já dirigi uma em uma viagem) e pouco mercado para revenda. Casamento na certa.

  6. mlfortes

    15 de junho de 2012 at 9:59

    Por que o autor não cita que este carro praticamente está saindo de linha, com o 208 totalmente novo chegando e, provavelmente será mantido ainda em produção somente o 207 hatch. E que ainda o valor cobrado é extremamente caro na situação atual, péssimo custo x benefício, ruim de mercado e pós-vendas da Peugeout muito ruim também.

    • bedotRJ

      15 de junho de 2012 at 15:41

      Discordo de que o valor cobrado seja caro, dadas as circunstâncias de nosso mercado. Caras são Spacefox e Palio Weekend. O CxB dessa SW da Peugeot está bem razoável. E não acredito que a Peugeot tirará esses modelos de linha por causa do 208. Tem que lembrar que o 208 vai chegar custando ao redor R$ 40mil. Há espaço tranquilo prá marca manter em linha todos os atuais 207, ao menos na versão de entrada XR 1.4, já que custam bem menos do que custará o novo modelo.

      • mlfortes

        15 de junho de 2012 at 16:55

        Para um carro que é nada mais que uma adaptação do 206, defasado em relação ao 207 europeu, com somente 313 litros de capacidade de porta-mala numa SW e com lançamento da nova linha 208, pra mim é ruim seu custo x benefício sim. E é praticamente certo que sairá de linha, a peugeot só manterá o 207 hatch por ter mais volume, bem diferente da SW que são vendas bem inferiores e não se justificaria mantê-lo. Sinceramente, desde que a peugeot lançou essa linha pseudo 207, não passam de uma gambiarra no mercado e péssimo pós-vendas.

        • bedotRJ

          15 de junho de 2012 at 17:48

          Entendo seu ponto. Vc não curte o carro, o que é perfeitamente normal. Eu só acho que uma análise de CxB tem que levar em conta o que o mercado oferece para a mesma faixa. Aí vc vai encontrar Gol, Sandero 1.0, Fiesta Rocam, Corsa, ou seja, carros que não têm grandes e objetivas vantagens sobre a SW da Peugeot. Nesse contexto, o CxB dela me parece bastante razoável. E se formos comparar com outras sw's do mercado, como Palio Weekend e Spacefox, aí é que o CxB da Peugeot fica melhor ainda, a despeito da maior capacidade de carga dessas duas.

  7. renanzacarias

    15 de junho de 2012 at 10:17

    Senti um pouco de má vontade nessa avaliação. Fica claro que não é o tipo de carro que o avaliador gosta e a avaliação acabou sendo parcial.
    Tenho um 207SW XR, que na época não era exatamente o que procurava, mas por uma boa oferta acabei levando. O carro realmente me surpreendeu. Ótimo acabamento, desempenho, consumo e conforto. Quanto à visibilidade traseira, acho melhor que a do hatch, pois o vidro traseiro é maior.
    Das stations compactas, um dos melhores, senão o melhor custo-benefício.
    Vai equipar uma parati ou uma weekend (se tiverem opcionais como essa sw) pra ver quanto fica…
    Acho que o carro tem muitos atributos pra agradar, não só o público feminino, mas masculino também.
    Uma pena as vendas desse ótimo carro serem amargadas pelo péssimo pós venda da Peugeot…

    • Louis

      15 de junho de 2012 at 11:07

      TAmbem não vejo problemas na visibilidade traseira. Mas como o avaliador não gosta de dirigir sentado, talvez esteja aí a explicação…

    • Jeff_Brown

      15 de junho de 2012 at 11:16

      Também acho um carro bacana, o problema é só que dá muito barulho se andar muito em pavimentação ruim e a dificuldade de revenda/valor em certas regiões.

    • H_Joe

      15 de junho de 2012 at 11:29

      Ah mas você dirige sentado, o avaliador por dirigir em pé, tem uma visibilidade prejudicada, tem que saber interpretar as coisas hahahaa

  8. fabio

    15 de junho de 2012 at 10:30

    Tenho um 207 XR 2010 com 7.800 km, apresentou problema no sensor de combustível e não andava, o prejuízo foi de R$ 900 na concessionária, apesar de ser um bom carro (é o nosso 3o. Peugeot) fiquei decepcionado com a marca após o consultor técnico da Paris (SP) ter jogado a culpa na má qualidade do combustível utilizado, dessa forma fica fácil se livrar da responsabilidade, sendo que o meu outro carro (KIA 2009) sempre foi abastecido no mesmo posto e nunca apresentou defeitos dessa ordem. Fazer o que né?

  9. Leandro1978

    15 de junho de 2012 at 11:07

    Apesar de gostar de peruas, esta não está no rol das que aprecio. Acho-a muito apertada e com porta-malas pequeno. No preço da avaliada, procuraria um destes novos sedans "compactos-grandes".

    • Louis

      15 de junho de 2012 at 11:47

      Eu diria que é uma SW que priorizou o estilo em detrimento do espaço do porta-malas. Sei que gosto é pessoal, mas pessoalmente gosto muito desta traseira.

      • rafaelbsr

        15 de junho de 2012 at 14:46

        A traseira é bacana, mas não consigo engolir essa frente, desproporcional ao carro, simplesmente horrível. Quando tinha a frente do 206 original era bem mais simpática…

        • Leandro1978

          15 de junho de 2012 at 15:47

          A Peugeot "estragou" o 206 ao tentar "transformá-lo" em um 207.

          • Felipe K

            15 de junho de 2012 at 17:11

            É isso ai!

  10. cado

    15 de junho de 2012 at 11:19

    Gente do céu, que avaliação ruim, a começar a dizer que o carro é feito para o público feminino. Não tenho um, mas discordo completamente, muito infeliz o texto. Quando li que o cara não gosta de dirigir sentado então, achei que eu estava lendo a matéria errada sobre o assunto errado no site errado.

    • Louis

      15 de junho de 2012 at 11:43

      Na verdade, o comportamento desta perua agrada mais aos homens. A suspensão é baixa e bem firme, é excelente de curva, e a posição de dirigir também é baixa. A mulherada está gostando mais de carros com posição de dirigir mais alta.

    • Cristiano

      15 de junho de 2012 at 15:16

      Ele não foi feito só para mulheres, mas para jovens e famílias jovens que curtem um visual um pouco esportivo e que necessitam de um meio de condução para levar uma prancha de surf e ter um porta-malas melhorado.

  11. adolfofrota

    15 de junho de 2012 at 11:28

    "Particularmente não sou muito fã de dirigir sentado…", e qual a outra forma de se dirigir???

  12. H_Joe

    15 de junho de 2012 at 11:29

    Quando você compra no contrato vem escrito "Este carro é para mulher"?

  13. Carlos

    15 de junho de 2012 at 11:33

    Esqueceu de dizer tb que nao vende muito e tem uma desvalorizaçao maior que a media, apesar de eu gostar do carro

  14. izy

    15 de junho de 2012 at 12:15

    Ahn? esse é novo!
    A avaliação poderia ter sido a 5 anos atras.
    So lendo sobre carrao la fora, ai aparece na lista esse brinquedo frances obsoleto.
    Aff.

  15. Calferr

    15 de junho de 2012 at 13:13

    Bom não acho que seja um carro para o público feminino. Acho que é uma perua compacta, para quem tem família (crianças) e não esta a fim de gastar os tubos em um carro mais caro. Já tive uma 206 SW e gostava do carro. Bom desempenho em se tratando de um 1.4, bagageiro bom (sempre considerando o porte e proposta do carro), muito boa estabilidade, câmbio com engates macios, e muito boa relação custo x benefício, considerando os equipamentos que ela vem. Os contras, é pouco aceita no mercado, e como qualquer veículo Peugeot tem grande depreciação. Pelo preço, ainda acho boa opção para quem procura uma perua.

  16. odirrr

    15 de junho de 2012 at 13:40

    313 litros numa station.
    Não sei se estou errado, mas quando o cara pensa em comprar uma station, naturalmente está pensando em espaço de porta-malas.

    Me parece muito mais que esse carro deveria disputar mercado com os "compactos espaçosos", como Agile e Sandero, do que com as stations mesmo. Ao menos acho que se o marketing fosse direcionado para esse segmento, poderia ganhar um pouco de mercado, e aí sim se tornar uma opção interessante perante a nova concorrência.

  17. Bikudin

    15 de junho de 2012 at 13:42

    Eu acho um carro bom, não é grande e tem bom espaço para bagagens.

    • Milton_GT

      15 de junho de 2012 at 14:15

      313 litros por ser uma SW é um espaço exíguo. O pequeno Mille tem 290 litros, apenas 23 litros a menos do que esta SW, além dele poder deitar o banco também. E o Sandero que é um Hatch tem 320 litros, mais do que esta SW. Portanto esta station tem um espaço para bagagens muito ruim,

  18. aprs

    15 de junho de 2012 at 14:46

    O pessoal pega no pé mesmo. Um monte de gente não dirige sentado, e isso é fácil de entender se tiver um pouco de boa vontade com o texto. Dos Peugeot gosto do visual interno.

  19. Cristiano

    15 de junho de 2012 at 15:15

    Parabéns pela iniciativa. Assim a Peugeot vendendo mais, os carros dela estarão melhores e mais peças haverá no mercado.

    Embora eu não me simpatize com essa linha 206,5 com bochechas de Quico, mas ao comparar esse carro com muitas coisas que tenho visto por aí, esse carro é moderno e bem acabado.

    Sobre o motor, vejamos o torque. Ele é mais alto do que o gerado por outros motores 1.0 e certos 1.4 que estão no mercado.

  20. bedotRJ

    15 de junho de 2012 at 15:38

    Uma dessas no modelo XR tá custando R$ 33.900,00 aqui no Rio. Mete mais R$ 1.500,00 e leva com airbag. Mesmo já com vários anos de mercado, é um modelo comprável, ainda mais se pensarmos no preço que custam Palio Weekend, Spacefox e até mesmo a paleolítica Parati. Eu não descartaria, pois não há coisa flagrantemente melhor por esse valor.

  21. idim

    15 de junho de 2012 at 15:58

    é um carro bom…como os carros da peugeot…atualmente. a marca esta arrebentando em design…não tenho dúvidas…o lance é que o custo benefício do carro é ruím…fazer o quê…concordo com BEDOTRJ…uma mãe que precisa fazer compras, levar seu filho à escola e afins…este carro tá ótimo…e pelo valor cobrado R$ 33.900,00 , o XR, melhor ainda…é isso aí…

  22. Dallossi

    15 de junho de 2012 at 17:20

    A Peugeot tem a péssima política de não oferecer air-bags e abs para seus carros com motor 1.4, nem como opcionais.

  23. @igor_fred

    15 de junho de 2012 at 17:22

    ainda existe?????

  24. Jeff_Brown

    15 de junho de 2012 at 18:46

    Acrescento que até as fotos foram mal captadas.
    Até os relatos pessoais que o pessoal faz dos próprios carros tem fotos melhores.
    Essas saíram estourando. Dão impressão de terem sido captadas próximo ao meio dia e com câmera mal ajustada, quando o ideal seria por volta da 15-16h.

  25. Supramagnus

    15 de junho de 2012 at 18:53

    Esse carro é um paradoxo: uma perua que não tem espaço no banco de trás e nem para bagagem. É óbvio que vai vender pouco.

    • odirrr

      16 de junho de 2012 at 10:52

      A peugeot deveria reposicioná-la, ao menos no marketing, para disputar com os "hatches espaçosos" como Agile e Sandero. E olha que mesmo assim perderia em porta malas.

      O ajuste nos preços seria pouco, e sabemos que eles tem muita margem para isso. E passaria a ser uma opção interessante perante a nova concorrência.

  26. vinicius

    15 de junho de 2012 at 19:18

    carro veio velho traseira antiga.

  27. Wellington_L

    17 de junho de 2012 at 5:32

    Bem…, esse veículo é pouco comercializado pelo óbvio motivo de os espaços internos de cabine (o mesmo de sua variante hatchback) e porta-malas se mostrarem muito restritos…

    Em relação a habitáculo, há somente um veículo mais limitado em seu segmento: o Renault Clio… No quesito maleiro, como bem disse um colega aí acima, a extensão realmente oferece sete litros (VDA) a menos em analogia a encontrada em um modelo Sandero que, por sua vez, possui até uma carroceria mais curta nessa comparação direta.

    Enfim, particularmente falando, a denominação perua é sinônima de automóveis para famílias… Portanto, dados os já mencionados volumes para bagagens e pessoas – este último, por exemplo, se constatando menor que o de um Volkswagen Gol –, o produto acaba apresentando-se como a única station wagon do planeta para solteiros…, não é?

  28. Márcio Freitas

    24 de julho de 2012 at 8:59

    É bom deixar claro que no modelo XR S a diferença de preço não é só Vidros Elétricos Traseiros, Rodas de Liga Leve, computador de Bordo, Acionamento automático de Faróis e do Limpa Brisa, existe também o retrovisor Elétrico e os faróis de neblina. A instalação deste ítens no mercado com certeza vai ultrapassar os R$ 4.000,00 e se for comprar um Peugeot no modelo XR S, me procurem que eu dou um desconto considerável para quem disser que viu esta reportagem (Peugeot Val Du Lion – São José dos Campos (12) 3932-5000).

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>